MENU

Tatuagem e piercing - A Bíblia e o bom senso

Essa questão é cultural ou social e não teológica. A Bíblia não se propõe a tratar todos os assuntos da sociedade hodierna, mas podemos tomar emprestados alguns princípios bíblicos para fazermos um avaliação pessoal, coerente e devida sobre o tema

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Terça-feira, 6 Maio de 2014 as 9:09

tatuagem e piercingA Bíblia só cita uma única passagem sobre tatuagens, Lv 19:28. Deus deu essa proibição à nação de Israel, pois isso os separava dos povos vizinhos que marcavam a pele com os nomes ou símbolos de seus deuses. Uma tradição pagã antiga. Vejamos o texto: "Não façam cortes em seus corpos por causa dos mortos, nem tatuagem em si mesmos. Eu sou o Senhor.” (Levítico 19:28) - NVI

Deus estava formando para si um povo santo (separado) em relação à cultura de outros povos que era rica em sua prática cultual e social comuns à época. Deus ensinou aos israelitas várias formas de conduta, para se tornarem um povo diferenciado entre as nações. “pois vocês são povo consagrado ao Senhor, ao seu Deus. Dentre todos os povos da face da terra, o Senhor os escolheu para serem o seu tesouro pessoal.” (Deuteronômio 14:2) - NVI

o Novo Testamento se cala completamente sobre o assunto, e o uso de qualquer outro versículo pode forçar o texto bíblico. Por isso precisamos esclarecer que a Bíblia não se coloca a favor ou contra uma tatuagem ou o uso de um piercing. Não podemos usar a Bíblia para validar ou proibir alguém de fazer tatuagem ou colocar um piercing.

Essa questão é cultural ou social e não teológica. A Bíblia não se propõe a tratar todos os assuntos da sociedade hodierna, mas podemos tomar emprestados alguns princípios bíblicos para fazermos um avaliação pessoal, coerente e devida sobre o tema.

1. A primeira coisa que precisamos compreender é que Jesus não nos redimiu apenas a alma, mas também o corpo. Paulo é claro quando aponta para o corpo do cristão e diz que como cristãos, temos responsabilidade moral e espiritual sobre o nosso corpo. “Acaso não sabem que o corpo de vocês é santuário do Espírito Santo que habita em vocês, que lhes foi dado por Deus, e que vocês não são de si mesmos? Vocês foram comprados por alto preço. Portanto, glorifiquem a Deus com o corpo de vocês.” (1 Coríntios 6:19-20) - NVI

Este versículo nos mostra que precisamos usar o nosso corpo com sabedoria e responsabilidade e que qualquer atitude que eu vou tomar em relação ao meu corpo deve ser tomada com a motivação de glorificar a Deus. Portanto eu poderia dizer que este versículo restringiria (este versículo não é proibitivo, mas restritivo) o uso de tatuagens a poucos desenhos ou mensagens que contivessem apenas um sentido ou princípio cristão. Figuras exóticas e desenhos que não inspiram nada que é bom ficam sem sentido no corpo de um cristão. Devem ser evitados também piercings que podem prejudicar ou causar enfermidades ou danos físicos à alguém.

2. A segunda coisa é que precisa haver um consenso familiar, no caso de jovens quererem fazer tatuagem. Se o jovem deseja fazer, mas os pais são contra, então cabe ao jovem cristão obedecer a Bíblia, porém é necessário chegar em um consenso com o filho através do diálogo e conversas em família que esclareçam as coisas entre as partes. Como Paulo nos propõe: “Filhos, obedeçam a seus pais em tudo, pois isso agrada ao Senhor. Pais, não irritem seus filhos, para que eles não se desanimem.” Colossenses 3:20-21

3. Em terceiro lugar, uma tatuagem ou um piercing colocado de maneira provocativa ou escandalosa pode levar a pessoa que a possui, à sofrer descriminação e preconceito social. É sabido por todos que muitas profissões e empresas, além de determinados lugares, não aceitam nenhum tipo de tatuagem ou piercing, daí porque devemos ser prudentes quanto ao uso restrito deste “costume social”. Apesar de inofensivo, uma tatuagem ou piercing pode trazer prejuízos sociais e emocionais as pessoas. Há uma estatística que afirma que três em cada cinco pessoas se arrependem de fazer a tatuagem nos dois primeiros anos.

Por isso, tatuagem não é só uma “tabu” no meio cristão, mas ainda hoje no meio social comum ou secular. O grande problema deste controverso assunto implica na motivação pela qual estou disposto a fazer uma tatuagem? O que me leva a dispor tempo, dinheiro e sacrifício (quem fez diz que dói bastante) pra fazer uma tatuagem? Atenção? Exibicionismo? Ser aceito na roda de amigos? Que expectativa e que mudança a pessoa que faz tatuagem espera que acontecerá com ela?

Tatuagem é apenas tatuagem, não é uma coisa boa nem ruim. A proposição bíblica é o equilíbrio. Pra quem quer fazer e não está apegado a nenhum destes motivos citados acima, faça sem problemas. Se suas dúvidas em relação ao assunto são maiores que as certezas, não seja burro(a); Não faça! Ficam apenas alguns conselhos para aqueles que estão dispostos a fazer: Tenha bom senso, fuja do mau gosto e seja discreto, não colocando em lugares visíveis do corpo e faça em um profissional qualificado. Use a liberdade que Cristo te deu com sabedoria. Quanto aqueles que se converteram depois de haver feito uma tatuagem, a Bíblia não exige sua remoção e tão pouco sua exposição.

Obs. Para os religiosos ou aqueles que querem impor o que acham como sendo o certo, deixo apenas este versículo bíblico para discussão posterior:
“O Senhor, contudo, disse a Samuel: "Não considere a sua aparência nem sua altura, pois eu o rejeitei. O Senhor não vê como o homem: o homem vê a aparência, mas o Senhor vê o coração". 1 Samuel 16:7

- Pr. Bruno dos Santos

veja também