Ele vem

O Rei Jesus já veio a este mundo com a mesma missão: iluminar um mundo perdido em sua própria escuridão. Desta vez, Ele vem novamente num ponto quando a escuridão estará em seu ponto máximo neste mundo.

fonte: Guiame, Edmilson Ferreira Mendes

Atualizado: Quarta-feira, 16 Novembro de 2016 as 3:12

Considerado o maior avião do mundo, Antonov pousou em Campinas (SP) na última segunda-feira (14). (Foto: Airway)
Considerado o maior avião do mundo, Antonov pousou em Campinas (SP) na última segunda-feira (14). (Foto: Airway)

14/11/16, segunda feira chuvosa em Campinas. Céu nublado, temperatura amena, meio de feriado, ideal para ficar embaixo de uma manta assistindo bons filmes. Nada disso no entanto desanimou os apaixonados por avião. O trânsito na rodovia Santos Dumont ficou complicado. Os terrenos e bairros próximos de Viracopos foram tomados, quem pôde e conseguiu foi até o aeroporto. Tudo para ver de perto o Antonov, o maior avião do mundo.

Ele chegou pela manhã, os principais veículos de comunicação do país estavam lá. Na entrevista coletiva tinham mais de 200 profissionais disputando as melhores perguntas e gravando todas as respostas. Videos, fotos, cada detalhe foi cuidadosamente capturado. Afinal, não é toda hora que o maior avião do mundo pousa em terras tupiniquins.

Pela manhã, voltava de um cliente e sintonizei a CBN. O Antonov tinha acabado de pousar e a rádio estava transmitindo ao vivo. Primeiro ouvi o som dos motores do avião pousando, depois as frases das pessoas que estavam lá: “Demais! É de arrepiar! É grande mesmo! Caraca, impressionante!...” A máquina voadora deixou a platéia extasiada. Não teve chuva ou clima capaz de impedir a audiência daqueles que sonhavam ver o Antonov de perto ou, pelo menos, o mais perto possível.

Enquanto ouvia a CBN pensava na vinda do Cordeiro. Por aqui, os avisos através da imprensa aconteceram com uns dez dias de antecedência. E só. Foi o suficiente para mobilizar um monte de pessoas. Como o aeroporto não tem estrutura para receber uma platéia maior, muitos que queriam ir nem se arriscaram, porém foi o assunto em praticamente toda cidade.

Faz dois mil anos que a chegada do Filho do Homem vem sendo anunciada. Proporcionalmente não vemos a mesma mobilização. Não vejo as pessoas mudando suas rotinas, suas agendas, suas prioridades, seus interesses para se dedicarem exclusivamente ao maior acontecimento dos últimos tempos. Aliás, quase não se fala no assunto da volta de Cristo. Mesmo no evangelho manco que se prega ultimamente, o que se quer é usufruir o melhor desta terra e tá bom demais, nada de ficar enchendo a paciência das pessoas com regras, leis, exigências, renúncias, rendições, arrependimentos, confissões, humilhações e quebrantamentos, essas coisas só atrapalham, são um peso, são chatas e afastam as pessoas, dizem.

Mal comparando, o Antonov, como qualquer avião, pousou, parou, estacionou. E só. Por maior que seja seu tamanho, sua capacidade de impressionar é limitada. Quando as Escrituras afirmam que Ele virá com as nuvens, com poder e grande glória, somos confrontados com palavras que causam impacto, porém não são suficientes para imaginarmos como será tal evento, pois nosso vocabulário é pobre para se narrar o espetáculo universal que toda raça humana presenciará.

A missão do Antonov é nobre e vale ser destacada. Em São Paulo, será carregado por um transformador pesando 155 toneladas, depois partirá rumo a Santiago, no Chile. O equipamento será utilizado em substituição a outro que sofreu um incêndio, deixando toda uma cidade às escuras. Não é pouca coisa! Um transformador resolverá o problema de iluminação e energia de uma cidade.

O Rei Jesus já veio a este mundo com a mesma missão: iluminar um mundo perdido em sua própria escuridão. Desta vez, Ele vem novamente num ponto quando a escuridão estará em seu ponto máximo neste mundo. Segundo uma parábola contada por Cristo, na qual Ele fala sobre 10 virgens, cinco imprudentes e cinco prudentes, elas aguardavam o noivo e a chegada do mesmo só se deu à meia noite, o momento no qual as trevas estão mais densas e carregadas. Apenas entrou para a festa as cinco prudentes, exatamente porque tinham reservado azeite para manterem suas lamparinas acesas. Ou seja, desta vez Ele virá buscar pessoas que já abraçaram e aceitaram Sua luz, a luz da Sua presença, do Seu amor, da Sua salvação e, segundo a parábola, sem luz não se vai a festa celestial.

E depois? Depois vem o incêndio. Fogo, segundo as Escrituras, é o que aguarda este velho mundo. E depois? Depois, também segundo as Escrituras, a presença eterna da trindade entre os salvos será o transformador que proverá luz não apenas para uma cidade, mas para o mundo inteiro para todo o sempre.

Bem, enquanto isso o Antonov segue sua missão e nós devemos seguir a nossa. Se perdemos a chegada e a partida do Antonov ao vivo não tem problema algum, a chegada e a partida que não podemos perder de jeito nenhum é a de Jesus. Ele vem e vem sem demora! Se apresse, não se intimide por chuvas, vendavais, tempestades ou escuridão, por mais improvável ou impossível que pareça, Ele vem.

 

*As opiniões aqui expressas são de exclusiva responsabilidade do autor do texto e não refletem necessariamente o posicionamento oficial do Portal Guiame.

veja também