MENU

O chamado ministerial pode ser um fardo, um peso ou uma honra

O chamado ministerial pode ser um fardo, um peso ou uma honra

Atualizado: Segunda-feira, 24 Março de 2014 as 1:50

adoraçãoInfelizmente é normal vermos pessoas que na caminhada cristã, se dizem desanimadas com a vida e com o ministério.
 
Basta se perguntar um simples: “Como vai, tudo bem?” que a frase de retorno logo aparece: “Sabe como é né, to meio desanimado.”.
Pessoas tristes com suas situações ministeriais, líderes desanimados, filhos desistindo, pessoas se esfriando.
 
A primeira coisa que eu gostaria de dizer pra vocês é:
"O preço que se paga por servir a Cristo não é um peso e sim uma honra."
 
O Chamado ministerial pode ser um fardo, um peso ou uma honra. Depende de como você reage no relacionamento com Deus.
 
Vejo a todo instante pessoas falando o quanto é difícil servir ao Senhor e estão tristes na caminhada. Servir a Deus não pode te fazer infeliz.
 
Pastores cansados, mulheres que não querem ser esposas de pastores, cantores em pecados. O Reino de Deus não é isso.
 
Servir a Deus é, antes de tudo, uma honra! É a obra que se você não fizer, terá uma eterna frustração por não ser aquilo q foi feito pra ser.
 
Não se julgue um super-herói ou alguém que não erra... Saiba que você é falho... Mas a seu favor tem a Graça de Deus.
 
Servir, ser degrau para ajudar alguém a crescer. Isso é ser amigo. Isso é Evangelho. Cooperar é ajudar sem a pretensão de se tornar o primeiro.
 
A forma como você reage diante de uma circunstância, mostra quem você é. Mude o foco! Entenda que mesmo com todas as suas dificuldades, o seu PAI não te abandona e ainda mais quando você decide fazer a obra dele e viver para Ele.
 
“Quão formosos são os pés dos que anunciam as boas novas.” Is. 52:7
 
Se você foi chamado para servir ao SENHOR, quero louvar a Deus pela sua vida. Saiba que problemas virão, eles sempre veem, mas não existe serviço mais gratificante no mundo. Não deixe se abater pelos problemas e críticas. Quem te chamou te capacita.
 
Na paz d’Aquele que nos arregimentou.
 
 
- Pr Felipe Heiderich
 

veja também