MENU

10 passos para vencer as dívidas

Se você passa por este tipo de situação, saiba que com paciência e disciplina é possível reverter este quadro e voltar a ter o nome limpo no mercado.

fonte: Guiame, Josué Gonçalves

Atualizado: Quinta-feira, 12 Maio de 2016 as 4:03

Coloque na ponta do lápis quanto está devendo, quais contas não estão sendo pagas e quanto de juros que se somam a cada mês.
Coloque na ponta do lápis quanto está devendo, quais contas não estão sendo pagas e quanto de juros que se somam a cada mês.

Segundo levantamento do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), pelo menos 54,7 milhões de brasileiros estão endividados. Os motivos são gastos extras, desemprego e má utilização do crédito.

Se você passa por este tipo de situação, saiba que com paciência e disciplina é possível reverter este quadro e voltar a ter o nome limpo no mercado. O especialista em economia, Reinaldo Domingos, sugere os seguintes passos:

1. Conheça o tamanho do problema
Coloque na ponta do lápis quanto está devendo, quais contas não estão sendo pagas e quanto de juros que se somam a cada mês. É importante dar este passo para a organização da vida financeira e para definir prioridades.

2. Busque ajuda para resolver a situação
Avise toda a família sobre a situação crítica financeira que vem passando e peça a colaboração de todos para que economizem o quanto puderem nesse momento. Muitas vezes será necessário que a família se mobilize para conseguir uma renda extra, por exemplo, fazendo doces para vender.

Também busque renegociar a dívida com os credores, que geralmente oferecem opções de parcelamento quando são procurados.

3. Corte os excessos
Neste momento de contingência, concentre-se no pagamento das necessidades básicas e chegue em um consenso com a família sobre que tipo de despesas serão cortadas, como o pagamento de mensalidades de cursos extras.

4. Aproveite as bonificações
Trabalhador com registro em carteira tem direito a férias, 13º salário e algumas empresas também pagam horas extras ou participação de lucros. Utilize este dinheiro prioritariamente para o pagamento das dívidas.

5. Retire toda renda guardada
Os juros resultantes de um endividamento são maiores do que a rentabilidade de investimentos, por isso, este é um momento importante para utilizar o dinheiro da poupança ou de investimentos para quitar as dívidas.

6. Venda alguns bens
Para se livrar da dívida você pode vender o carro, uma televisão, celular, ou até mesmo alguns livros no sebo ou alguma coleção de valor, como de moedas ou discos de vinil. Logo você poderá ter uma recuperação financeira e ao longo do tempo adquirir novos bens.

7. Conheça sua renda
Caso tenha parcelado a dívida, conheça bem sua receita e despesas para saber o quanto pode desprender para pagar as prestações. O ideal é que no máximo 30% da renda mensal seja voltada para pagar este tipo de prestação.

8. Faça um empréstimo
Neste momento é importante trocar dívidas caras por mais baratas. Por exemplo, para quitar dívidas de cartão de crédito, faça um empréstimo consignado (aqueles em que a prestação vem descontada na folha de pagamento) que tem taxa de juros menor do que a do cartão.

9. Tenha disciplina
Depois de ter feito empréstimo, renegociado dívidas e envolvido toda a família em busca de medidas econômicas, será crucial manter este ritmo nos próximos meses. Não pense que a situação está resolvida e que pode contrair novas prestações.

10. Mude hábitos
Torne os bons hábitos financeiros uma rotina em sua vida. Seja promovendo a economia dentro de casa, cortando o cheque especial do cartão, refazendo uma poupança e comprando mais à vista do que a prazo.

Toda a família será beneficiada com estes novos hábitos financeiros, além de você mesmo poder dormir com a consciência tranquila e dando bom exemplo para seus filhos.

veja também