MENU

Internet: faça um contrato com seu filho

Quando o assunto é navegar na Internet o acompanhamento se torna quase que obrigatório. O maior problema é que, na maioria das vezes, os filhos estão na rede enquanto seus pais estão no trabalho ou quando os pais estão em casa estão não podem acompanhar os filhos.

fonte: Guiame, Josué Gonçalves

Atualizado: Sexta-feira, 6 Novembro de 2015 as 6:13

Crianças e adolescentes precisam de autonomia e privacidade para brincar, estudar e realizar suas tarefas diárias, mas isto não significa que a participação e supervisão dos pais sobre as atividades dos filhos são dispensáveis. Quando o assunto é navegar na Internet o acompanhamento se torna quase que obrigatório. O maior problema é que, na maioria das vezes, os filhos estão na rede enquanto seus pais estão no trabalho ou quando os pais estão em casa estão não podem acompanhar os filhos. Para garantir uma navegação saudável você pode criar regras. Uma estratégia para criar regras e formular um contrato entre pais e filhos.

Você pode fazer isto através de uma reunião familiar onde todos tenham oportunidade de expressar suas ideias e elaborar um acordo para utilização da Internet. Colocamos a sua disposição quatro pontos essenciais para formular um bom contrato.

1- Horário para acessar a rede
Especifique os dias e horários nos quais seus filhos poderão utilizar a Internet. Marque uma reunião com eles para juntos encontrar os dias e horários mais adequados. Na Internet existem conteúdos educativos e saudáveis, mas também pornografia e violência. Por isto, tente especificar dias e horários que você esteja em casa. Alguns provedores fornecem um serviço de relatórios onde é possível saber os dias e horários que o internauta acessou a Internet e, ainda, o tempo que permaneceu na rede. Fuja dos provedores de acesso gratuito pois a maioria deles não possui uma política de proteção à criança.

Este serviço geralmente é oferecido por provedores de acesso pagos, que possuem ferramentas onde é possível controlar o conteúdo Se for necessário ajustar o orçamento para contratar um provedor de acesso, discuta com seus filhos a substituição de alguma atividade de lazer da família por um acesso de qualidade, com certeza vai fazer diferença na formação deles.

2- Histórico
Programas de navegação, como o Internet Explorer da Microsoft, por exemplo, possuem o recurso Histórico, que armazena por dias da semana os endereços das páginas visitadas pelo internauta. Estas informações podem ser apagada pelo usuário, mas combine com seus filhos que somente você poderá apagá-las. Desta forma você tem condições de saber quais as páginas por onde seus filhos navegam. Você pode utilizar este mesmo procedimento para os arquivos enviados à lixeira e para a relação exibida na pasta documentos do Menu iniciar do windows.

3- Salas de Bate-Papo
Estabeleça regras claras sobre o uso das salas de bate-papo. Converse sobre a importância de sempre falar a verdade. Muitos adolescentes adotam pseudônimos e consequentemente se apresentam nas salas de bate-papo como se fosse outra pessoa, este é o primeiro passo para assumir outra personalidade e proferir mentiras. Este tipo de comportamento é pecado. "Abomino e detesto a mentira; porém amo tua lei" (Salmo 119-163).

Explique aos seus filhos os perigos de revelar informações pessoais para alguém que conheceu na Internet. Número de telefone, endereço da residência e o nome da escola não devem ser informados. Converse com seus filhos de modo que eles adquiram consciência de que as pessoas que conhecemos na Internet nem sempre são o que parecem ser e que na maioria das vezes não dizem a verdade. Eles precisam saber que uma atitude errada pode comprometer a vida de toda a família.

4- Correio eletrônico
Adote uma política para enviar e receber e-mails. Explique aos seus filhos que mensagens eletrônicas enviadas pela Internet (e-mails) podem extraviar-se e ser lidas por outras pessoas. Por isto, é importante evitar ao máximo enviar mensagem com informações pessoais. Fotos, por exemplo, não devem ser remetidas a desconhecidos. Dê preferência a programas de correio eletrônico, como por exemplo, o Outlook Express ou o Eudora e evite serviços de webmail. Os programas de correio armazenam informações importantes, mensagens recebidas e enviadas e que podem ser lidas sem necessariamente estar conectado à rede.

Monte seu contrato, imprima e peça para que seus filhos assinem. Desta forma você estará desenvolvendo um relacionamento saudável com eles e promovendo o fortalecimento da sua família. Deixe claro que é importante respeitar todos os itens do contrato. Se houver necessidade em abrir uma exceção, tenha certeza que é uma excelente oportunidade para uma reunião familiar para discutir o assunto.

Envie uma mensagem para nós contando sua experiência. Se for possível, envie seu modelo de contrato para que possamos publicar e ajudar outras famílias.

EXTRA - Se você utiliza o Internet Explorer da Microsoft, veja como é fácil configurar o navegador para não exibir páginas de conteúdo pornográfico e de violência.

 

veja também