MENU

Ser pai me levou aonde eu jamais esperava chegar!

Sempre ouvi que a mulher já nasce pra ser mãe, mas o homem só é pai quando pega o filho pela primeira vez no colo. E é pura verdade.

fonte: Guiame, Marcos Botelho

Atualizado: Quinta-feira, 6 Outubro de 2016 as 3:53

Marcos Botelho carregando o filho pequeno nos ombros. (Foto: Marcos Botelho)
Marcos Botelho carregando o filho pequeno nos ombros. (Foto: Marcos Botelho)

Nos primeiros anos de casado eu e a minha esposa estávamos curtindo tanto a nossa nova vida a dois, que um pensamento egoísta veio no nosso coração, não falávamos para ninguém pois é um pensamento feio e revela o quanto o nosso coração é egoísta.

Se a gente tiver um filho ele tem grande chance de estragar a nossa vida a dois, vai atrapalhar nossos planos de viagem, nossas conversas, etc. Não estou dizendo que esse medo não tenha um fundo de verdade, e nem que tudo muda na vida do casal, mas esse medo fazia a gente realmente pensar se íamos querer ter filhos ou não.

Mesmo com esse medo decidimos engravidar e ter um filho, e foi quando tudo mudou pra mim.

Sempre ouvi que a mulher já nasce pra ser mãe, mas o homem só é pai quando pega o filho pela primeira vez no colo. E é pura verdade, até umas horas antes do #BabyBotelho nascer, enquanto a Naty estava morrendo de dores nas contrações, eu estava fazendo videozinhos nas redes sociais sem saber o que ia acontecer com minha vida, com minhas emoções.

Eu sabia o que era o amor de ter bons pais, o amor de irmãos, o amor de bons amigos, o amor de uma esposa… Como se cada amor desse fosse uma caixa na minha alma, e sempre pensei a onde o amor por um filho iria se encaixar.

Mas quando caiu a ficha de ser pai, o amor de ter um filho não se encaixava em nenhuma das categorias de amor que tinha aprendido em toda a minha vida, minha alma teve que abrir um espaço para uma nova caixa, grande e larga, chamada amor pelos filhos.

Se você ainda não tem filho temo que essa metáfora que estou usando nem arranhe o que realmente foi para mim essa mudança nas minhas emoções.

Foi difícil me acostumar com essa nova caixinha de emoção, pois como se não bastasse ser nova pra mim, acho que ela tirou todas as outras do lugar.

Chorava por qualquer coisa: propaganda de TV, reportagem barata sensacionalista, falando da minha infância, conversando com meus pais, vendo fotos do meu filho.

Estou reaprendendo a lidar com minhas emoções, reaprendendo a valorizar o que realmente importa, reaprendendo a viver! Ser pai me levou aonde eu jamais esperava!

 

*As opiniões aqui expressas são de exclusiva responsabilidade do autor do texto e não refletem necessariamente o posicionamento oficial do Portal Guiame.

veja também