A mulher cananeia

Essa mulher demonstrou uma fé extraordinária, ela creu que mesmo as migalhas seriam suficientes para a resolução do seu problema.

Fonte: Guiame, Ricardo SoaresAtualizado: sexta-feira, 8 de março de 2019 14:24
(Foto: Reprodução/Pexels)
(Foto: Reprodução/Pexels)

Texto: Mateus 15:21-28 (Marcos 7:24-30) 

INTRODUÇÃO

Os evangelhos de Mateus e Marcos registram uma das histórias mais intrigantes referente a um milagre de Jesus: a da mulher cananeia. Não pelo milagre em si, mas pela forma de agir de Jesus, que de certa maneira, destoa de suas atitudes anteriores, afinal foi a primeira e única vez (pelo menos registrado nos evangelhos), onde Jesus não só ignorou uma pessoa que pedia ajuda, como também se negou a ajudá-la de início.

Outra coisa que chama bastante a atenção nessa história, é que após a insistência da mulher, Jesus diz o seguinte: “...Não é certo tirar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos", ou seja, indiretamente chama a mulher de “cachorrinha”, mais uma atitude que não combina com Jesus, e que parece contradizer o princípio que tinha acabado de expor no capítulo anterior, de que a condição do coração e não as coisas exteriores, é que determinam se uma pessoa está contaminada ou não (Mateus 15:11).

Outro detalhe que chama nossa atenção, é que Jesus antes de ir para a região de Tiro e Sidom, que ficava na Fenícia, estava em Cafarnaum (próximo ao mar da Galileia). Mateus e Marcos descrevem que Jesus libertou a filha da mulher Cananeia e logo após retornou para o pé do mar da Galileia, onde ensinou e curou a muitos.

Isso nos leva a pensar o seguinte: ou Jesus só foi lá para realizar esse milagre, mostrando a importância dessa história, ou, Ele pregou e realizou outros milagres, que não foram registrados nos evangelhos, mostrando a importância dessa história.

Independentemente do que aconteceu de fato, o registro desse milagre mostra que ele merece atenção e, que dele, podemos extrair algumas lições muito importantes para nossa vida espiritual. E é isso que nós vamos fazer a partir de agora.


1 – ELA SABIA EXATAMENTE O QUE QUERIA

A primeira coisa que chama a atenção no relato de Mateus é que ela vem a Jesus gritando, mostrando o nível do seu desespero pelo estado de sua filha. Ela sabia exatamente o que queria, a cura espiritual de sua filha. Por mais incrível que possa parecer, muitos buscam a resolução do seu problema sem saber exatamente o que querem.

2 – ELA FOI ATÉ JESUS

Ela foi no lugar certo, na hora certa e, acima de tudo, buscou a pessoa certa: Jesus! Um grande erro nosso é que muitas vezes quando estamos com um problema, não buscamos ajuda, ficamos acomodados, de braços cruzados esperando o milagre acontecer, ou quando buscamos, não vamos no lugar e na pessoa correta! Essa mulher estava com sua filha endemoniada! Imagine! Mas não ficou parada, se movimentou! O chamou de “Filho de Davi”, que é um título messiânico de Jesus, ela sabia com quem estava falando.

3 – ELA FOI HUMILDE

Ela não teve vergonha de expor seu problema, não ficou preocupada com o julgamento das pessoas, só queria ver sua filha curada. Essa atitude dela se contrapõe a atitude de muitas pessoas, que muitas vezes tem um problema de “estimação”, pois por orgulho não procuram ajuda com medo e vergonha de se expor.

4 – ELA O ADOROU

Ela não só O adorou, mas o fez de joelhos, ela não só O adorou de joelhos, mas O chamou de Senhor! Adorar a Deus quando está tudo bem é muito fácil! Ela o adorou mesmo vivendo um problema grave, isso se chama adoração de sacrifício. Ao chamá-lo de Senhor, reconheceu o senhorio de Jesus em sua vida. Será que temos adorado ao Senhor independente das circunstâncias? Será que temos reconhecido Ele como Senhor de nossas vidas?


5 – ELA FOI INSISTENTE

Ela enfrentou algumas barreiras:

  • O silêncio e a indiferença de Jesus - Acredito que a maioria de nós desistiria nessa barreira. Uma coisa é receber um gelo do seu pastor, do seu líder, de um parente ou amigo. Outra coisa é receber um gelo de Jesus! De Deus!

 

  • A falta de ajuda dos apóstolos – Eles não demonstraram o mínimo de sentimento para com aquela mulher, muito pelo contrário, pediram para Ele a mandar embora, pois seu grito os incomodava! E essa história se repete nos dias de hoje; pessoas que deveriam ajudar, atrapalham. Muitas pessoas hoje estão fora da igreja por conta disso.

 

  • Ser chamada de “cachorrinha” – Acredito que essa é a parte do texto que mais assusta. Os judeus naquela época se referiam aos gentios (quem não era judeu) como cães, no grego κυων (kuon), e faziam isso de forma depreciativa mesmo. Porém a expressão grega usada por Jesus foi κυναριον (kunarion), que significa “cachorrinha”. O que Jesus quis dizer aqui é que Ele veio primeiro para as ovelhas perdidas da casa de Israel. Sua missão de salvar o mundo se iniciava com os Judeus, ou seja, ainda não havia chegado o tempo dela. Apesar disso, muitos no lugar dela se ofenderiam, porém ela não só não se ofendeu, como usou a fala de Jesus em seu favor.

 

6 – ELA TEVE FÉ

Mesmo após passar por todas as barreiras que passou: a indiferença de Jesus, os discípulos pedirem que a mandassem embora, Jesus se negar a ajuda-la, e ainda dizer que o pão era para os filhos e não para os “cachorrinhos”, essa mulher demonstrou uma fé extraordinária. A fé dela foi tão grande que creu que mesmo as migalhas seriam suficientes para a resolução do seu problema. Essa atitude dela nos ensina muito também. As vezes nossa fé é tão pequena que desistimos no primeiro obstáculo. As vezes nossa fé tão pequena, que queremos escolher a forma de Deus agir. Ela não chegou em Jesus com algo pronto em sua mente, apenas queria a cura para sua filha e se contentou até com as migalhas!


7 – ELA MUDOU O CORAÇÃO DE DEUS

Um dos erros mais criticados da teologia da prosperidade é que ela ensina um evangelho centrado no “eu”, um evangelho triunfalista. Do outro lado temos aqueles que acreditam que devemos aceitar tudo o que acontece conosco como sendo a vontade permissiva de Deus. Essa mulher nos ensina que existe a linha do meio. Ela mudou o coração de Jesus com a atitude dela. Ela mudou Seu coração com sua fé.


CONCLUSÃO

Essa história nos ensina muitas coisas, mas acredito que as 3 lições mais importantes aqui são: 1º somos fracos e Jesus é forte, 2º temos que nos humilhar em sua presença e 3º devemos ter fé! O mesmo Jesus que operou na vida daquela mulher opera hoje também, basta termos a mesma atitude dela.

Por Ricardo Soares - Pastor de jovens e líder de louvor na Igreja Ministério Fonte de Vida, em Vila Velha (ES). Para saber mais, acesse soteologia.com

* O conteúdo do texto acima é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Siga-nos

Mais do Guiame