Augusto Cury estará presente na CBB 2016

Cury afirma que os líderes carismáticos são aqueles que fazem o bem, e faz com que todos se sintam valorizados e responsáveis pelas conquistas

fonte: Guiame, Cris Beloni

Atualizado: Quarta-feira, 23 Março de 2016 as 5:06

A realização vincula-se à capacidade de transformar situações. O sucesso de um líder é medido por sua busca de prioridades para o grupo. (Imagem: Divulgação)
A realização vincula-se à capacidade de transformar situações. O sucesso de um líder é medido por sua busca de prioridades para o grupo. (Imagem: Divulgação)

Augusto Cury, que já confirmou sua presença no Congresso Internacional de Líderes e Empresários, afirma que os líderes carismáticos sempre promovem nas pessoas o que elas têm de melhor. Mas, segundo o psiquiatra, liderança e carisma nem sempre foram vistos como fenômenos sociais. Cury diz que, desde os primeiros escritos sobre o assunto, por volta de 2.400 anos atrás, as qualidades foram consideradas inatas e privilégio de poucos.

“Sócrates chegou a declarar que ‘apenas um minúsculo número de pessoas’ tem a amplitude de visão e os dotes físicos e mentais necessários para comandar. Mais recentemente essa posição foi dada ao sociólogo alemão Max Weber, a quem costumam atribuir a popularização do termo ‘carisma’. Quem tinha carisma era considerado como quem tinha alguns poderes mágicos”, explica o especialista.

Cury diz que Weber não encarava o carisma como mera qualidade de raros indivíduos agraciados pela sorte. As pessoas tendem a acreditar nos tais “poderes mágicos”, mas na verdade, o carismático tem o poder de conquistar seguidores ou discípulos. “Em outras palavras, quem tem carisma se destaca das outras pessoas e as atrai facilmente”, diz o cientista. Jesus Cristo é o maior exemplo de líder carismático de todos os tempos.

De origem grega, a palavra charisma tem vários significados: o poder de fazer milagres, a habilidade de profetizar e de influenciar outros.

“A última definição é mais relevante aqui porque atualmente liderança costuma ser definida como processo social, em oposição à característica pessoal que permite a alguém motivar outras pessoas para ajudar a atingir as metas de um grupo”, diz ele. Mas é preciso ter cautela, porque apesar da liderança surgir dentro de um processo coletivo, muitas vezes, funciona como uma espécie de ‘truque’, que pode ser aprendido e desempenhado em condições específicas.

Na política, por exemplo, o político aspirante pode usar o carisma para conquistar seus próprios interesses e não para lutar pelos interesses de uma comunidade ou nação. Por isso, é preciso ter cuidado ao identificar uma pessoa carismática. O carisma atrai as pessoas, mas não informa se o líder tem boas ou más intenções com tal aproximação. Em 1985, relataram a forte correlação entre referências à liderança carismática e evidências de melhora no desempenho de empresas. A descoberta sugeriu duas possibilidades: as decisões e ações do líder levaram à melhora da organização, ou quando as pessoas viam a empresa com desempenho melhor, pressupunham que o resultado era devido à liderança carismática.

Resumindo, a realização vincula-se à capacidade de transformar situações. O sucesso de um líder é medido por sua busca de prioridades para o grupo. Os verdadeiros líderes carismáticos são aqueles que fazem o bem a todos e não retém o sucesso para sua própria vida, antes, porém, faz com que todos se sintam valorizados e responsáveis pelas conquistas. Augusto Cury estará presente na CBB 2016, que vai acontecer entre os dias 13 a 19 de abril.

Serviço:
Encontro Anual dos Batistas do Brasil (CBB) 2016
Data: 13 a 19 de abril
Local: Mendes Convention
Endereço: Av. Gen. Francisco Glicério, 206 - Vila Mathias, Santos - SP
Mais informações: 11 3866-6710 / [email protected] / cbb2016.com.br

*Fontes: Menthes e Convenção Batista Brasileira

veja também