Adolescentes que se preservam sexualmente são mais saudáveis, diz pesquisa

Segundo uma pesquisa recente do Centro de Controle de Doenças dos EUA, os adolescentes que optam pela abstinência sexual estão mais propensos a adotar hábitos saudáveis em diversas áreas da vida.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Terça-feira, 6 Dezembro de 2016 as 3:23

Casal adolescente. (Foto: Getty)
Casal adolescente. (Foto: Getty)

Um novo estudo do Centro de Controle de Doenças dos EUA examinou os comportamentos de saúde dos adolescentes em conexão com sua atividade sexual (confirmada por eles próprios) e mostrou que aqueles que permanecem em abstinência sexual são muito mais saudáveis - em diversas áreas - que seus colegas sexualmente ativos.

O relatório, intitulado "Identidade Sexual, Relacionamentos Sexuais e Comportamentos Relacionados com a Saúde entre Estudantes de 9º a 12º Grau, nos Estados Unidos e Locais Selecionados" mostrou os resultados de uma pesquisa feita em 2015, que monitorou várias categorias de comportamentos relacionados à saúde, como o tabagismo, Consumo de drogas e álcool, hábitos sexuais, comportamentos alimentares pouco saudáveis ​​e outros que contribuem para gerar ferimentos e violência não intencionais.

O relatório concluiu que "os estudantes que não tinham contato sexual têm uma prevalência muito mais baixa da maioria dos comportamentos de risco à saúde, se comparados comparação com os alunos que já tiveram ou mantém contato sexual".


Análise
Em entrevista ao site internacional 'Christian Post', Jennifer Roback Morse, fundadora e presidente da ONG cristã Instituto Ruth, disse que "este estudo é notável porque faz perguntas e relata as respostas, ao invés de evitar perguntas ou assumir respostas".

Como Glenn Stanton notou na semana passada em entrevista à revista 'The Federalist', os resultados dessas perguntas e respostas são notáveis.

Com relação ao tabagismo, adolescentes virgens são 3.300% menos propensos a fumar diariamente do que os que estão sexualmente envolvidos com alguém do sexo oposto, calculou Stanton a partir dos dados do relatório. Adolescentes virgens são 9,500% propensos a fumar diariamente do que aqueles que estão sexualmente envolvidos com alguém do mesmo sexo ou em um relacionamento bissexual, acrescentou.

Os jovens que buscam se preservar sexualmente também são bem menos propensos a fazer uso de técnicas, como bronzeamento artificial, consumir bebidas alcoólicas, fumar maconha, pegar carona no carro de um condutor embriagado ou se envolver em brigas físicas. A juventude que opta pela abstinência é mais propensa a ter uma boa noite de sono (oito horas) todas as noites e tomar um café da manhã saudável diariamente.

"Nossos filhos devem saber que há evidências científicas muito convincentes em tantos níveis mostrando sobre como preservar o presente precioso que é a sexualidade até chegar ao porto seguro do casamento. Isso não tem nada a ver com o moralismo antigo ou a repressão sexual insalubre", escreveu Stanton.

Morse também destacou que as vantagens de se abster sexualmente durante a juventude a adolescência (fora do casamento) não são apenas físicas.

"Tenho notado que os alunos castos com quem trabalhamos ao longo dos anos no Instituto Ruth não têm a angústia que muitas vezes é atribuída à juventude", explicou. "Eu acho que isso se explica porque evitar a atividade sexual evita diversos dramas psico-sociais, que a acompanham [no caso de ocorrer ainda no namoro], como: 'Ele ainda gosta de mim?'; 'O que ela está realmente fazendo com esse outro cara?' ou 'Eu realmente sou importante?".

"Além disso, é importante dizer: ninguém nunca morreu por não ter relações sexuais", acrescentou. "Mas as pessoas às vezes sentem como se fossem morrer diante da ideia de permancer sem sexo [mesmo se for por apenas um período]. Se você se sentir assim, pode significar que você é viciado".

 

veja também