A família cristã e a homossexualidade

A melhor maneira de cuidar da sua família e da sociedade é com o diálogo à luz da Palavra de Deus

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Segunda-feira, 5 Maio de 2014 as 1:04

homossexualidadeEmbora a sociedade secular tente ajustar-se ao seu modo hedonista de viver, a Bíblia é muito clara sobre o correto padrão ético, moral e comportamental do homem e a formação da família. Uma coisa é o que cada um pensa, gosta e decide escolher para crer e viver; outra coisa é o padrão bíblico de regra de vida.

Está escrito, por exemplo, no Novo Testamento, em um trecho no livro de Paulo em que ele ensina aos cristãos romanos: “Por causa disso Deus os entregou a paixões vergonhosas. Até suas mulheres trocaram suas relações sexuais naturais por outras, contrárias à natureza. Da mesma forma, os homens também abandonaram as relações naturais com as mulheres e se inflamaram de paixão uns pelos outros. Começaram a cometer atos indecentes, homens com homens, e receberam em si mesmos o castigo merecido pela sua perversão. Além do mais, visto que desprezaram o conhecimento de Deus, ele os entregou a uma disposição mental reprovável, para praticarem o que não deviam” Romanos 1.26-28. Nesse texto tudo está muito claro; nele podemos entender que, primeiro: corromper o padrão da sexualidade saudável é algo muito antigo na sociedade. Em segundo lugar, a igreja, há mais de dois mil anos, denunciava e condenava desde o princípio tais desvios de comportamentos tanto feminino, quanto masculino. E em terceiro lugar, a Bíblia também
deixa claro a questão da consequência, porque existe um salário por abortar o padrão de Deus e se entregar às suas paixões da carne. Paulo também escreveu, nesta mesma carta 6.23: “Pois o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.”

Nessas passagens fica muito claro que a homossexualidade é uma paixão infame, isto é, ela é contrária à natureza divina e humana, pois corrompe o modo natural da vida e fisiologia humana. É também uma inflamação da sensualidade, e como tal, é classificada diretamente na Bíblia como ato de pecado, ou seja, errar o alvo da boa, perfeita e correta vontade de Deus. Eu tenho liberdade para aceitar ou não esse padrão cristão de vida, mas como cristão, eu também preciso lutar para que os que assim entendem e aceitam, possam continuar tendo liberdade de viver e pregar este valor para si e para os outros.

Sendo assim, existem dois fatores muito diferentes e que precisam ser pontuados. Uma coisa é a homofobia, que é odiar e agir com preconceito e violência contra quem não segue este padrão de vida; outra é ser um cristão e não aceitar o padrão hedonista do mundo atual, no qual o valor do prazer infame deve ser imposto como padrão absoluto para a sociedade e a família. Como cristãos, temos que amar a todos, inclusive aos que vivem fora dos padrões da Bíblia, e vivermos sob os princípios da Palavra de Deus, seja na questão da sexualidade ou sob qualquer outra área de nossa vida.

Contudo, nós cristãos que temos a Bíblia como fiel regra de fé e prática de vida, que temos uma consciência cristã à luz dos mandamentos e valores da Palavra de Deus, temos que entender que nem todo mundo vive assim. Lendo dias atrás o devocional 67º do livro 100 Dias de Oração: Impactando a Família (editado pela CBB e Junta de Missões Mundiais), me deparei com um artigo do Dr. Josué de Mello Salgado, da Igreja Batista Memorial de Brasília que salienta três questões sobre o assunto de forma lúcida e equilibrada: “1ª. Nós vivemos, como o Apóstolo Paulo em Roma, numa sociedade não cristã, dirigida por valores não cristãos. Não podemos exigir desta sociedade um comportamento cristão. Seria como exigir vida de conversão, a uma pessoa não convertida. 2ª. A ira do homem não opera a ira de Deus - Tiago 1.20. É Deus quem castiga o pecado e não nós, isto desautoriza todo ato de violência homofóbica, verbal ou física. 3ª. Deus odeia o pecado e ama o pecador, por isto quem optou pela “paixão infame de viver” deve ser
alvo do nosso amor e da pregação misericordiosa, porque a misericórdia triunfa sobre o juízo divino" Tiago 2.13.

Ore sobre esse assunto, converse e ore com seus filhos sobre esse tema; eles estão expostos diariamente a ele, sem nenhum filtro cristão pela sociedade secular. A melhor maneira de cuidar da sua família e da sociedade é com o diálogo à luz da Palavra de Deus, sempre baseado no verdade com amor e graça!

Pense nisso! Que Deus abençoe a família e a nossa sociedade!

Seu pastor e amigo!


- Carlito Paes

veja também