Ideologia de gênero ganha 'mascote' nos EUA e pastor alerta: "Lavagem cerebral"

Conhecido como "Unicórnio do Gênero", o mascote faz parte de um programa de treinamento que também pretende restringir a interferência dos pais nos 'debates' que a escola promove sobre a 'identidade transgênero'.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Quinta-feira, 11 Agosto de 2016 as 3:45

'Unicórnio do gênero' é o mascote de um programa que visa promover a ideologia de gênero nas escolas. (Foto: keepmyncsafe)
'Unicórnio do gênero' é o mascote de um programa que visa promover a ideologia de gênero nas escolas. (Foto: keepmyncsafe)

Um distrito escolar da Carolina do Norte, que aderiu recentemente à 'política de banheiros transgêneros' recebeu cerca de 2.500 cartas de reclamação, após uma noa iniciativa, que tem sido apontada como mais uma ferramenta de disseminação da ideologia de gênero entre os alunos: o uso do material com o personagem "Gender Unicorn" ("Unicórnio do Gênero").

O Distrito Escolar de Charlotte-Mecklenburg (CMS) decidiu no início deste ano, permitir que os alunos utilizem os banheiros e vestiários conforme a sua 'identidade de gênero' escolhida - o que desafia a lei 'HB 2', já existente na Carolina do Norte.

Em resposta, um grupo de proteção dos Direitos da Família elaborou uma carta de reclamação, chamando cidadãos interessados ​a enviarem a mensagem às diretorias das escolas, antes de sua reunião que seria realizada na última terça-feira (9).

Jim Quick, porta-voz da Coalizão, falou ao 'Christian Post' sobre o número de pessoas que estão protestando contra a política de de banheiros trasngêneros nas escolas.

"Tivemos 1.575 indivíduos baixando a carta da Coalizão para assinar e enviar para o Distrito Escolar Charlotte-Mecklenburg. Outras 877 famílias enviaram a mensagem a cada membro do conselho via e-mail, usando o site ligado à Coalizão 'KeepMyNCSafe.com", explicou Quick.

"95% indivíduos que estão fazendo contato conosco via e-mail têm filhos matriculados no sistema escolar de Charlotte-Mecklenburg"


Agravante
O Distrito Escolar passou a ser ainda mais criticada quando divulgou um link para uma apresentação de treinamento, que fazia uso de um personagem dos desenhos animados, conhecido como "gender unicorn" ("unicórnio do gênero").

O caráter pró-LGBT do "gender unicorn" era parte de um treinamento em que os professores eram orientados de que o envolvimento dos pais poderia não ser necessário nas questões de estudantes que 'lutam com problemas de identidade de gênero'.

A Superintendente do Distrito Escolar Charlotte-Mecklenburg, Ann Clark anunciou na semana passada que o grupo de escolas iria atrasar a implementação de parte de sua política de banheiros transgêneros, devido a uma recente decisão do Supremo Tribunal dos EUA.

"Como resultado da decisão [de quarta-feira] da Suprema Corte dos Estados Unidos, nós colocamos uma retenção temporária na seção do 'regulamento de prevenção do bullying contra transgêneros', que afirma que os alunos transexuais terão acesso aos banheiros e vestiários, de modo correspondente à sua identidade de gênero", afirmou Clark.

"O CMS continua empenhado em fomentar um ambiente de aprendizagem seguro e acolhedor para todos os estudantes... O restante do regulamento, que se destina a promover a coerência de apoio ao projeto anti-bullying para todos os alunos, permanecerão intactos".

Pastor Franklin fez duras críticas à iniciativa do Distrito Escolar. (Foto: Christian Post)


Críticas
O pastor e evangelista Franklin Graham comentou a notícia em uma postagem de sua página oficial do Facebook.

Ele apontou a estratégia de usar o 'unicórnio do gênero' como uma ferramenta para fazer uma lavagem cerebral nas crianças.

"O Unicórnio do Gênero? As Escolas do Distrito de Charlotte-Mecklenburg na Carolina do Norte querem tentar fazer uma lavagem cerebral em nossas crianças, para que elas aceitem que o comportamento homossexual e a identidade transgênero são coisas boas. Eles estão usando um 'inocente' unicórnio do gênero para fazer isso", alertou.

"Pais, cuidado. Eles estão usando este unicórnio para manipular a imaginação das crianças e fazer com que isso pareça aceitável. Sua nova política escolar, prevista para entrar em vigor no dia 29 de agosto, inclui a política de banheiros transgêneros".

"A nova política também diz que a escola vai trabalhar com os alunos para 'determinar quando os pais devem ou não estar envolvidos na definição da identidade de gênero dos estudantes. Os pais devem estar indignados e nós também devemos", disse.

veja também