Obesidade na gravidez pode afetar o bebê

Obesidade na gravidez pode afetar o bebê

Fonte: Atualizado: sábado, 29 de março de 2014 03:28

Durante a gestação, muitas são as causas do excesso de peso nas mulheres. Alterações no metabolismo energético, aumento do apetite devido a mudanças hormonais, razões psicológicas e mitos, como a falsa necessidade de elevar excessivamente a quantidade de alimentos, estão entre os motivos. É comum que ocorra um aumento da gordura corporal na gravidez. No entanto, isso ocorre com mais intensidade nas mulheres que já estão acima do peso no momento da concepção.

A mulher deve ganhar de 9 a 12 quilos ao longo de toda a gestação. É necessário que o ganho de peso seja gradual. É possível que o metabolismo fique mais lento durante a gravidez, mas este também pode aumentar devido à demanda energética do feto.

O acúmulo de gordura pode trazer complicações para a saúde da gestante e do bebê. Para a mãe, os principais riscos são hipertensão arterial, diabetes, dislipidemias, trombose venosa profunda, riscos cardiovasculares e limitações respiratórias. No feto, o peso elevado pode alterar o seu desenvolvimento, causar macrossomia, hipoglicemia no momento do nascimento e obesidade na vida adulta.

Atividades físicas ajudam a manter o peso. Caminhadas e hidroginástica são indicadas, mas atividades de alto impacto e musculação com excesso de peso são prejudiciais. A alimentação deve ser balanceada e equilibrada, com carboidratos, lipídeos, proteínas, vitaminas e minerais. Frutas, legumes, verduras e cereais integrais são importantes. O sal, o açúcar e a gordura devem ser ingeridos em menor quantidade. Além disso, a grávida deve ingerir bastante água e as refeições devem ser fracionadas em uma média de seis vezes ao dia.

Siga-nos

Mais do Guiame