Passos fundamentais para melhorar a comunicação no casamento

É preciso coragem e muito esforço para se comunicar com paciência. Devemos evitar, com todo empenho, a impressão de haver desistido, que cansou de tentar

fonte: familia.com.br/

Atualizado: Quinta-feira, 22 Maio de 2014 as 2:45

casalMeu marido me contou sobre uma conversa que teve com um amigo dele certa vez. Esse amigo ficou espantado quando meu marido contou que ele e eu nunca havíamos brigado em nossos quase 10 anos de casados. Primeiramente, o amigo ficou descrente. Quando percebeu que meu marido realmente falava sério, ele quis saber, então, qual era a “fórmula mágica”.

Eu atribuo o fato de nunca termos brigado ao motivo de termos uma boa comunicação – nós conversamos muito, sobre tudo! Meu marido é meu melhor amigo, é alguém em quem eu posso confiar meus pensamentos, meus sentimentos, alguém que sei que não vai me julgar e condenar por mais imperfeita que eu ainda seja.

Se nós já discordamos de alguma coisa? É claro que sim! Muitas e muitas vezes.

“Então, qual é a bendita fórmula mágica?”, você deve estar se perguntando. A verdade é que nada de bom nessa vida vem fácil. Tudo depende de esforço e trabalho árduo, e esse princípio aplica-se também a boa comunicação no casamento e na família.

Apesar de não existir a tal “fórmula mágica”, gostaria de compartilhar alguns princípios que temos nos esforçado para aplicar, e que tem nos ajudado muito:

1. Reservar um tempo

Reserve um tempo para estar disponível para conversar. Coloquei este princípio em primeiro lugar, porque (pelo menos pra mim) ele é o mais difícil de aplicar. Estamos sempre envolvidos com tantas coisas, tantos compromissos, tantas tarefas, tantas preocupações assombrando nossa mente que corremos o risco de transmitir a nossa família a mensagem “Não vê que estou ocupado? Não me incomode agora, por favor.”

Esses momentos de comunicação podem surgir ao preparar uma refeição, ao dirigirem-se para o trabalho, ao levar os filhos para a escola.

No artigo Um tempo que não volta: Ensinando os filhos enquanto pequenos sem distrações tecnológicas, falo sobre como as distrações tecnológicas podem atrapalhar nossos relacionamentos familiares. Desconectar-se e desligar a televisão pode nos ajudar a criar esse momento propício para a comunicação também entre o casal.

2. Aprender a escutar

Escutar atentamente, com mente e coração abertos, é essencial para o exercício pleno do amor. Meu pai costumava dizer que temos 2 ouvidos e apenas 1 boca, porque precisamos ouvir 2 vezes mais do que falar. E é a mais pura verdade.

3. Disposição para expressar sentimentos

Temos uma tendência de achar que os outros membros da família sabem como nos sentimos a respeito deles. E, na maioria das vezes, tiramos conclusões erradas. Podemos ter um ambiente familiar muito melhor quando sabemos como nosso cônjuge realmente se sente e o que espera de nós.

Existem muitas maneiras de expressar os sentimentos, a fala é apenas uma delas. Pra quem não tem esse hábito, pode ser bem difícil expressar verbalmente os sentimentos no começo. Você pode começar escrevendo bilhetinhos de incentivo ou mensagens de texto carinhosas.

4. Não julgar

É fácil conversar quando o outro tem a mesma opinião que você sobre um determinado assunto. A coisa complica quando as opiniões são diferentes. Esforce-se para não demonstrar decepção, susto ou repulsa diante dos comentários da outra pessoa e nunca, nunca, reaja violentamente.

Se sentir a raiva ou o desapontamento começar a brotar dentro de você, peça um tempo para pensar sobre o assunto, mas assegure a outra pessoa que irão retomar essa conversa em outro momento. E cumpra seu compromisso.

5. Manter sigilo

É preciso ser digno de confiança até mesmo nas questões do dia a dia. As questões e observações mais profundas somente virão se tivermos nos mantido dignos de confiança nas questões triviais.

6. Exercer paciência

Quando não nos comportamos adequadamente, desejamos que os outros tenham paciência conosco. E, a verdade, é que quando somos pacientes com os outros, temos mais paciência com nós mesmos.

Frases do tipo “Estou cansado de ouvir suas queixas!” ou “Já disse isso um milhão de vezes!” são o sinal claro de que a paciência foi embora.

É preciso coragem e muito esforço para se comunicar com paciência. Devemos evitar com todo empenho a impressão de haver desistido, que cansou de tentar. A perseverança é uma virtude essencial em nosso relacionamento com nossa família e, em especial, com nosso cônjuge.

Essa é nossa “fórmula mágica”. Mas a “mágica” só irá acontecer com persistência, paciência e muito (muito!) amor. Posso garantir que funciona!


- Marilia Condé Aguilar

veja também