Pastor Mark Driscoll alerta casais sobre o perigo de cometer o "adultério emocional"

"Adultério emocional é ter como seu amigo muito próximo alguém do sexo oposto que não é o seu cônjuge", alertou o pastor Mark Driscoll.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Sexta-feira, 6 Janeiro de 2017 as 4:39

Mark Driscoll atualmente é pastor da Trinity Church, no Arizona. (Foto: Charisma News)
Mark Driscoll atualmente é pastor da Trinity Church, no Arizona. (Foto: Charisma News)

O pastor Mark Driscoll, da Igreja da Trinity, no Arizona, alertou que muitos casais cristãos estão cometendo o que ele descreve como "adultério emocional", e disse que estes precisam lembrar a importância da amizade em seu relacionamento.

"A amizade é parte importante de um casamento verdadeiramente cristão e uma proteção contra o adultério emocional. Em nossos anos juntos, vimos muitos casais - incluindo pastores e suas esposas - cometendo este pecado. Adultério Emocional é ter como seu amigo muito próximo alguém do sexo oposto que não é o seu cônjuge", escreveu Driscoll em um post ao lado de sua esposa, Grace.

"Infelizmente, muitos livros e sermões sobre o casamento se concentram apenas nos versículos bíblicos sobre o casamento, mas devem também examinar a montanha de versículos bíblicos sobre a amizade, porque aqueles se aplicam à amizade humana são os mais vitais de todos com o nosso melhor amigo(a), nosso cônjuge. A própria Bíblia relacionou o casamento e a amizade: uma esposa no Cântico dos Cânticos diz: "Este é o meu amado e é meu amigo (5:16)", acrescenta o post.

O pastor advertiu que, devido a sites de redes sociais, a palavra "amigo" está ganhando um significado distorcido e é um erro chamar alguém que é "amigável" de "amigo".

Eles disseram que tanto o marido quanto a esposa em um casamento precisam investir em serem bons amigos uns dos outros.

"A amizade é preciosa e exige muito em tudo - tempo, energia, emoção e, às vezes, dinheiro também. Aqueles que querem que seus cônjuges sejam seus amigos, sem procurar serem também bons amigos deles, são egoístas e exigentes", escreveu.

"E aqueles que querem ser bons amigos, mas não ajudam seus cônjuges com a reciprocidade estão propensos a sofrer abusos, negligência e outros tipos de males em seus casamentos", acrescentou

O pastor e sua esposa argumentaram que os casais nunca devem parar de amadurecer sua amizade, porque no final das contas "o restante das coisas no casamento parece se encaixar mais facilmente quando o casal está trabalhando nisso".

 

veja também