Um 'divórcio' que melhora o seu casamento

"A luxúria é uma pobre, fraca, choramingante e sussurrante coisa se comparada com a riqueza e a energia do desejo que surgirá quando a luxúria for morta"

fonte: http://familia.com.br/

Atualizado: Quarta-feira, 9 Abril de 2014 as 10:39

casalEu conheço um homem que experimentou um ótimo divórcio, divórcio este que abençoou sua vida e as vidas de outras pessoas imensamente. E, estranhamente, melhorou seu casamento. Na época, eu não entendi muito bem isso. Mas agora eu acho que quero um divórcio como o dele.

Obviamente, o divórcio que eu estou falando é muito mais profundo (e, talvez, muito mais doloroso) do que um divórcio civil. Na tentativa de explicar este conceito, CS Lewis escreveu uma história alegórica sobre o fantasma de um homem que havia deixado o inferno para visitar o céu. Lewis descreve o fantasma como "escuro e seboso", com um pequeno lagarto vermelho empoleirado em seu ombro. O lagarto contraiu "sua cauda como um chicote" e sussurrou comandos ao ouvido do homem. De vez em quando o homem rosnava para o lagarto, mandando-o calar a boca e ficar quieto. Mas no final, o homem, inevitavelmente, fazia o que o lagarto lhe mandava. O lagarto finalmente convence o homem a se virar e voltar para o inferno.

Ao deixar o céu, o fantasma é confrontado por um imenso e flamejante anjo. O anjo pede que o fantasma lhe dê permissão para matar o lagarto. O fantasma hesita e inventa desculpas para impedir o anjo de fazê-lo. Mas depois de uma conversa longa e reveladora, o fantasma admite que o lagarto esteja arruinando sua vida e dá a permissão ao anjo para matá-lo. No mesmo instante, o anjo flamejante arrebata o lagarto, mata-o, e lança seu corpo ao chão. Acreditando que morrerá se ficar sem o lagarto, o fantasma arfando, cai para trás.

No livro, CS Lewis explica que este lagarto representava a luxúria do homem: "A luxúria é uma pobre, fraca, choramingante e sussurrante coisa se comparada com a riqueza e a energia do desejo que surgirá quando a luxúria for morta." Mas eu gostaria de ir um passo adiante nesta analogia e comparar o lagarto aos vícios em geral. Pois, não importa quem somos; todos lutamos contra algum tipo de vício. Mesmo quando não se tem vícios físicos, somos ainda assim viciados, em algum nível, em nossas próprias vontades e desejos.

O fantasma experimentou uma profunda, dolorosa, mas muito necessária separação (ou divórcio) de um vício que o impedia de avançar.

Mas o que acontece depois na história de Lewis é realmente incrível! O fantasma se transforma em um homem, uma imensa forma semelhante ao anjo flamejante. Enquanto o corpo do lagarto se transforma em um belo garanhão. Em seguida, o "homem renovado" monta alegremente no cavalo e galopa para frente, para o céu.

Comecei este artigo dizendo conhecer um homem que experimentou um tipo de separação, um divórcio que tem abençoado a sua vida e as vidas dos outros imensamente. Ele é um dos meus melhores amigos. Ele "divorciou-se" de uma vida de drogas ilícitas, álcool e imprudências. E, em troca, recebeu uma segunda chance na vida. Esse divórcio foi doloroso e difícil, e levou mais tempo do que o esperado. Mas aconteceu! Como o fantasma da história, meu amigo voltou a viver no céu, e Deus o transformou em um gigante entre os homens, transformando, nesse processo, suas maiores dores em pérolas de sabedoria.

Ao compartilhar suas experiências, meu amigo foi capaz de ajudar muitos outros a avançarem na vida.

Em referência a esse processo de divórcio, CS Lewis escreveu estas belas palavras:

"É algo que os mortais não entendem. Eles dizem sobre o sofrimento temporal: 'Não há felicidade futura que possa compensá-lo' não sabendo que o Céu, uma vez alcançado, irá retroceder e transformar até mesmo essa agonia do agora, em glória."

Eu vi o poder que vem de pessoas que optam por matar o "lagarto" de seus vícios e entregar suas vidas a Deus e servir ao próximo. Eu os vi tornarem-se mais fortes e mais cheios de vida, superando a tudo com um renovado senso de propósito.

Nesse sentido, espero passar por um grande divórcio assim - ser capaz de abrir mão das coisas que me limitam, e permitir que Deus me transforme em alguém maior.

Um grande divórcio, de fato.


- Seth Adam Smith
Este artigo, originalmente publicado em inglês A Divorce That Will Improve Your Marriage no blog de Seth Adam Smith, foi traduzido por Stael Pedrosa Metzger

veja também