Terroristas palestinos "comemoram" ataque que matou soldados israelenses, em Jerusalém

O porta-voz do Hamas, Abdul-Latif Qanou, disse que este foi "um ato heroico" e encorajou outros palestinos a fazerem o mesmo para "aumentar a resistência" contra Israel.

fonte: Guiame, com informações da ABC News

Atualizado: Domingo, 8 Janeiro de 2017 as 12:49

Terroristas do movimento palestino Hamas. (Foto: CNN)
Terroristas do movimento palestino Hamas. (Foto: CNN)

O movimento extremista palestino 'Hamas' está "celebrando o sucesso" de um ataque em Jerusalém, que matou quatro soldados israelenses e feriu outros 15 neste domingo (8). Apesar de comemorar a ação, o grupo não reivindicou a responsabilidade pelo crime.

O autor do ataque usou um caminhão para atropelar um grupo de soldados israelenses, que desembarcavam de um ônibus em Jerusalém, segundo informações da polícia de Israel. Entre os 15 feridos, dois deles foram internados em estado grave.

A porta-voz da polícia israelense, Luba Samri disse disse que o autor do ataque foi neutralizado.

O porta-voz do Hamas, Abdul-Latif Qanou, disse que este foi "um ato heroico" e encorajou outros palestinos a fazerem o mesmo para "aumentar a resistência" contra Israel. Qanou disse que o ataque deste domingo prova que a onda de violência palestina ainda não terminou, apesar de uma pausa recente. Ele disse que ela "pode ​​ser silenciosa, pode até ser lenta, mas nunca vai acabar".

O Hamas, que governa a Faixa de Gaza, assumiu há algum tempo que está comprometido com a destruição do Estado de Israel.

O ataque classifica-se como um dos mais mortíferos em mais de um ano que teve uma série de outros atentados liderados por palestinos. Esfaqueamentos e outros tipos de ações foram direcionadas contra os israelenses, que já vinham mantendo uma trégua nos últimos tempos. O incidente de domingo marcou as primeiras mortes israelenses em três meses.

Desde o ano passado, agressores palestinos mataram 36 israelenses e dois norte-americanos em uma série de ataques com facas. Durante esse período, 229 palestinos foram mortos pelo exército israelense. Israel diz que a maioria desses palestinos eram agressores e morreram em confrontos.

Israel diz que a violência é impulsionada pela incitação palestina. Por sua vez, os palestinos afirmam que estes ataques são "o resultado de quase 50 anos de ocupação israelense" em áreas, como a Cisjordânia, Faixa de Gaza e Jerusalém Oriental.

O momento do ataque foi registrado por câmeras de segurança no local. Confira no vídeo abaixo:

veja também