Após infeção por vírus mortal, missionário se recupera e agradece pelas orações

O Dr. Kent Brantly chegou ao estado da Geórgia (EUA) e está sendo tratado em um hospital. As informações dadas pelos médicos são de que o quadro do médico tem melhorado.

fonte: Guiame

Atualizado: Segunda-feira, 4 Agosto de 2014 as 12:55

Após infeção por vírus mortal, missionário se recupera e agradece pelas oraçõesApós contrair o vírus mortal do Ebola na Libéria (África ocidental), enquanto trabalhava como missionário da Samaritan's Purse (agência de missões), o Dr. Kent Brantly chegou ao estado da Geórgia (EUA) e está sendo tratado em um hospital. As informações dadas pelos médicos são de que o quadro do médico tem melhorado. Sua família diz que ele está de bom humor e agradecido pela orações de quem acompanhou o caso.

"Eu pude ver o Kent hoje. Ele está de bom humor", disse a esposa do médico missionário, Amber Brantly no último domingo, 03/08.

O missionário chegou ao Estado norte-americano no último sábado, 02/08, em um jato especialmente equipado para transportar alguém em tal situação de saúde.

"Louvamos a Deus pela notícia de que o estado de Kent está melhorando. Podemos confirmar que Kent recebeu uma dose do soro experimental antes de deixar a Libéria", disseram representantes da agência missionária.

Dr. Kent agradeceu a todos por suas orações e pediu continuem em intercessão pelo retorno seguro de Nancy Writebol (outra médica / missionária) e a recuperação completa dela.

Writebol trabalha com o grupo de ajuda cristã SIM e deve chegar em Atlanta (EUA) ainda nesta semana. Ela também fez parte da equipe da Samaritan's Purse, tratando de pacientes com Ebola no Centro de Monitoramento, em Monróvia.

Presidente da Samaritan's Purse, o pastor Franklin Graham também expressou sua alegria em poder confirmar as boas notícias sobre os dois missionários.

"Agradecemos a Deus porque eles estão vivos e agora têm acesso aos melhores cuidados do mundo. Estamos muito gratos pela ajuda que recebemos do Departamento de Estado, o CDC (Centros de Controle e Prevenção de Doenças), o Instituto Nacional de Saúde, a OMS e, claro, ao Emory Hospital", disse.

Mais de 700 pessoas morreram em razão do surto de Ebola na África Ocidental, já que não há cura ou vacina para o vírus, que tem uma taxa de mortalidade de pelo menos 60%.

Com informações do Christian Post

*Tradução por João Neto - www.guiame.com.br 

veja também