Após a morte de seu único defensor, cristãos temem o pior em vilarejo nas Filipinas

Muçulmanos suspeitos andam livremente pelas ruas com suas armas

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Segunda-feira, 5 Janeiro de 2015 as 8:52

FilipinasEm uma aldeia reservada em Zamboanga City, no sul das Filipinas, cristãos se preparam para possíveis ataques de muçulmanos acusados de matar Lot*, um simpatizante do cristianismo.

"Em outubro passado, Lot disse a seus “assassinos” para não prejudicar os cristãos que estavam pescando. Disse-lhes que os cristãos são pessoas como todas as outras que precisam alimentar suas famílias", diz uma fonte local.

"Ele também repreendeu um grupo de viciados em drogas que usaria a igreja para se drogar. Foi o que aconteceu no ano passado, quando muitos cristãos deixaram a aldeia durante o cerco (de Zamboanga City em setembro de 2013). Ele e outros líderes muçulmanos disseram para não profanar lugar de culto dos cristãos que, como os muçulmanos não querem que suas mesquitas sejam utilizadas de forma profana", acrescentou.

Agora que Lot, o único defensor dos cristãos, está desaparecido, eles temem ataques dos suspeitos, que são vistos andando livremente pelas ruas com suas armas.

"[Muçulmanos] parentes de Lot estão conspirando para vingar sua morte", disse a mesma fonte, "mas seus parentes cristãos estão junto à sua viúva, para que a vingança não seja levada à diante", conta a fonte anônima.

Um colaborador da Portas Abertas no sul das Filipinas disse que um dos colaboradores é parente da viúva de Lot e que uma vingança pode colocar em risco a vida de todos os ligados a ele por sangue e casamento.

"Ore pelos cristãos de Sama. Eles esperam dificuldades à frente, não só na prática da fé, mas também na condução de seus meios de subsistência. Antes de seu assassinato, Lot defendeu-os dos piratas muçulmanos que iriam matá-los e roubar seus barcos quando eles estavam no mar", exclamou a fonte da Portas Abertas.

*nome alterado por motivos de segurança


com informações da Portas Abertas

 

 

 

veja também