Após oração em público, cristãos são presos sob a acusação de "conversão forçada"

A queixa contra os cristãos foram apresentadas por três homens, que alegaram ter sido induzidos a se converter em troca de um emprego.

fonte: Guiame, com informações de Christian Today

Atualizado: Quarta-feira, 25 Maio de 2016 as 10:47

(Foto: Reuters/Adnan Abidi)
(Foto: Reuters/Adnan Abidi)

Três evangélicos foram presos sob a acusação de “conversão forçada” pela polícia de Madhya Pradesh, na Índia. O Rev. V. A. Anthony, da Igreja Brethren Assembly, sua esposa Prabha e outra mulher foram presos depois de conduzir orações na cidade de Aber.

De acordo com o presidente do Conselho Global de Cristãos Indianos, Sajan K. George, os três são inocentes das acusações. "Eles foram detidos com base em falsas alegações de conversões forçadas", disse ele ao site AsiaNews.

A queixa contra Anthony e as duas mulheres foram apresentadas por três homens, que alegaram ter sido induzidos a se converter em troca de um emprego. Eles também alegaram que os cristãos quebraram imagens de divindades hindus.

Alguns moradores relataram ainda que, durante as prisões, nacionalistas hindus acompanharam a polícia, incluindo Laxmi Yadav, um ativista do estado de Madhya Pradesh.

Laxmi Yadav apresentou uma queixa há três semanas contra outro líder evangélico, o Rev. Sam Samuel, e junto a outros ativistas, interromperam um casamento cristão na cidade de Kolgawan, alegando que a noiva era menor de idade e que o casal havia se convertido há quatro anos, sem informar as autoridades.

"Cristãos pentecostais e evangélicos vivem em uma atmosfera de medo em Madhya Pradesh. Aqui, a lei anti-conversão é usada para perseguir e intimar. Regido pelo nacionalista hindu Bharatiya Janata Party, o estado está colocando em risco seriamente a liberdade de religião", avaliou Sajan George.

veja também