Após passar 5 anos preso no Irã, pastor consegue sua liberdade

O pastor iraniano Farshid Fathi é líder de uma igreja da Assembleia de Deus em sua cidade e havia sido condenado a seis anos de prisão, mas acabou sendo beneficiado pela aprovação de uma nova lei do Código Penal Islâmico.

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Quarta-feira, 23 Dezembro de 2015 as 12:59

Um pastor da Assembléia de Deus foi libertado da prisão no Irã, após passar cinco anos sob custódia das autoridades iranianas.

Farshid Fathi foi preso no 'Boxing Day' [tradicional feriado secular, que sucede o Natal] de 2010, durante os ataques que visam igrejas cristãs e resultaram na prisão de 22 cristãos no Teerã e em outras regiões do país. Ele passou mais de 100 dias em confinamento solitário e foi mantido preso por durante 14 meses, antes de seu caso ir a julgamento.

Ele recebeu uma sentença de seis anos de prisão em 2012, sob acusação de 'crimes', como 'ação contra a segurança nacional', 'cooperação com organizações estrangeiras' e 'evangelismo'. Ele também foi acusado de carregar consigo, Bíblias impressas em Farsi, e distribuir literatura cristã ilegalmente.

Durante seu tempo na prisão, ele foi mantido junto criminosos violentos e sofreu agressões, como quando teve um pé quebrado, durante uma incursão em sua cela, feita por guardas da prisão. A sentença de Fathi foi posteriormente prorrogada, depois que ele foi falsamente acusado de posse de álcool. Em março de 2015, ele foi acusado de insultar um imã [autoridade religiosa] na prisão, depois de desafiar uma ordem de que todos os livros cristãos da ala fossem inspecionados.

De acordo com a agência de notícias 'Mohabat News', a sua libertação veio como resultado de uma apelação bem-sucedida sob o artigo 134 do Código Penal Islâmico, recentemente aprovado, que diz que alguém considerado culpado de vários crimes só deve cumprir uma pena: referenta ao mais grave destes crimes. A lei o isentou de dois anos de sua sentença total.

O diretor da agência 'Christian Solidarity Worldwide', Andy Dipper celebrou a libertação de Fathi e expressou a esperança de que em breve o pastor possa se reunir com sua família.

"Continuamos profundamente preocupados com o tratamento dos cristãos no Irã, que sofrem assédio, maus-tratos e são presos, simplesmente por exercerem o seu direito à liberdade de religião ou crença, reunindo-se pacificamente para adorar a Deus, especialmente durante a época do Natal", disse ele.

Paul Robinson, Chefe Executivo da 'Release International' disse: "Estamos muito satisfeitos que o Pastor Farshid finalmente tenha sido libertado e que as autoridades iranianas cumpriram com a sua palavra para libertá-lo. Queremos agradecer aos nossos adeptos em todo o mundo que estiveram orando por ele".

"No entanto, até 100 outros cristãos continuam atrás das grades no Irã - simplesmente por confessarem sua fé. O Irã continua a considerar o cristianismo como uma religião de 'hostilidade' e os cristãos que estão ativos em sua fé são vistos como inimigos do Estado. Por favor, continuem orando por uma mudança nos corações das autoridades do Irã para com os seus cidadãos cristãos".

Saeed Abedini
Um dos cristãos que ainda continua preso no Irã e tem mobilizado centenas de milhares de pessoas em todo o mundo a assinarem petições por sua libertação é o pastor norte-americano Saeed Abedini.

Preso em 2012, o líder cristão passa por problemas sérios de saúde, causados pelos sucessivos espancamentos que sofreu na prisão.

veja também