Associação Billy Graham envia equipe para apoiar capelães traumatizados pela guerra na Ucrânia

Aproximadamente 150 capelães evangélicos participaram do seminário de quatro dias, que abordou os efeitos do transtorno do estresse pós-traumático (TEPT) - comum em casos de pessoas que sobrevivem a contextos de guerra.

fonte: Guiame, com informações da Associação Billy Graham

Atualizado: Quarta-feira, 20 Janeiro de 2016 as 3:15

Em dezembro de 2015, capelães da Equipe de 'Resposta Rápida Billy Graham' (RRT) dos Estados Unidos e do Canadá colocaram de lado a política e, com gratidão aceitaram o convite para ministrar aos capelães evangélicos na Ucrânia - um país cercado por guerra e distúrbios civis. O objetivo do treinamento de quatro dias foi reabastecer espiritualmente e equipar esses capelães que incansavelmente compartilham o amor de Cristo onde quer que estejam.

A oportunidade surgiu de repente. O porta-voz presidencial ucraniano, coronel Andriy Lysenko, adentrou uma sala do Seminário Teológico Evangélico Ucraniano, acompanhado por oficiais militares. O silêncio tomou conta do local.

A visita do coronel à instituição de ensino com sede em Kiev (capital ucraniana) não estava na agenda do treinamento de capelania, liderado por membros da Equipe do Ministério 'Resposta Rápida Billy Graham'. Imediatamente, toda a classe se levantou e esperou para ouvir o que Lysenko tinha a dizer.

"Ele veio para avisar aos capelães evangélicos, que quando ele está na linha de frente [batalhas], percebe que há algo diferente sobre eles - eles são amigáveis e falam no mesmo nível daqueles que estão servindo", disse Jeff Naber, gerente do desenvolvimento de capelães e do ministério das relações da Equipe 'Resposta Rápida Billy Graham'.

"A razão pela qual ele chegou foi que ele ouviu sobre esta reunião, e ele queria que os capelães soubessem que ele aprecia o serviço de capelania".

Receber elogios vindos do poder executivo do país foi um verdadeiro impulso para os capelães que se sentiam sobrecarregados. Atualmente, 300 deles tentam ministrar para 45 milhões de pessoas no país. Fazendo um comparativo com relação ao contexto americano, seria como se um capelão tivesse a responsabilidade sobre este serviço para uma cidade mais ou menos a população da cidade de Syracuse (Nova York), com 144 mil habitantes, mas com uma área quase 30 vezes maior.

É uma tarefa difícil para estes capelães, que se sentem cansados, devido à permanente realidade de violência [devido aos conflitos civis recorrentes no país], alcoolismo, número crescente de suicídios. Isto tem gerado transtornos de estresse pós-traumático (TEPT) - que tem se fortificado no país onde milhares de pessoas morreram desde o início do conflito entre a Rússia e a Ucrânia.

O TEPT também afeta os capelães evangélicos, que estenderam a mão para a organização de ajuda internacional com sede no Canadá Hart (Ajuda Humanitária 'Response Teams') para obter ajuda. Esta equipe de ajuda humanitária contactou o escritório canadense da Equipe 'Resposta Rápida Billy Graham', que repercurtiu em suas sedes americanas. A RRT viu neste contexto, a oportunidade de compartilhar do amor de Deus, pôs de lado a política e com gratidão aceitou o convite para ministrar aos seus companheiros, capelães que servem Cristo.

Aproximadamente 150 capelães evangélicos participaram do seminário de quatro dias, que abordou os efeitos do transtorno de estresse pós-traumático. Os capelães David e Suzanne Mikkelson - residentes Carolina do Norte com doutorado em aconselhamento sobre TEPT - ministraram as aulas junto com Naber e Merle Doherty, gerentes do RRT canadense. Muitos subtemas foram abordados, incluindo uma avaliação de traumas e resiliência, sintomas de estresse e habilidades de enfrentamento, a teologia bíblica do sofrimento, lesão espiritual e moral, hipervigilância e ações preventivas.

O pastor Valeriy Trufanov, um coronel aposentado do exército ucraniano e atual líder da Associação recentemente formada de Capelães da Ucrânia, participou do treinamento. Ele falou a Naber sobre o seu sonho de proclamar a Palavra de Deus para a Ucrânia, e como isto carece de uma estrutura de cuidados de saúde mental funcional.

"Valeriy me disse: 'Se eu conseguisse um capelão de cada uma das 14.000 igrejas na Ucrânia, nós poderíamos fornecer esses serviços [de cuidados sobre saúde mental]", relatou Naber.

Em última análise, Trufanov disse a Naber através de um tradutor, ele quer conectat seus capelães evangélicos em um sistema semelhante ao que a Associação Billy Graham emprega com a sua equipe 'Resposta Rápida'. Em vez de ministrar a uma área específica, os capelães de Trufanov iriam ramificar-se para cobrir todas as facetas da comunidade no sexto maior país europeu.

"Isso é Deus nos reunindo", disse Naber. "Ele está vendo o que já estamos fazendo e quer usar esse mesmo modelo".

O ministério dos capelães ucranianos quer alcançar as pessoas onde elas estão, de modo que eles poderiam estar servindo desarmados no meio de um tiroteio ou poderiam confortar uma mãe de luto pela perda de seu filho. Os capelães oram incansavelmente com e pelas pessoas, que estão apenas tentando sobreviver em um país onde quase um terço da população vive abaixo da linha da pobreza.

Naber disse que os capelães evangélicos ucranianos percebem que Deus está chamando-os ainda mais alto para ajudar seus compatriotas e mulheres a encontrar a paz em meio a tempos tumultuados.

"Alguns [capelães] estão viajando grandes distâncias - de leste a oeste - para as frentes de batalha e o fazem pela fé, sabendo que quando eles respondem a este chamado, as suas disposições serão atendidas", disse Naber.

"Muitos deles ficam cerca de um mês longe de suas suas famílias para viajar para essas áreas que são muito perigosas [Ucrânia], sabendo que as pessoas que estão lá precisam ouvir que há esperança. Os capelães sabem por experiência própria, que a verdadeira esperança só vem de Cristo".

veja também