"A busca pela fama se tornou normal no mundo cristão", critica esposa de pastor preso no Irã

Tendo viajado pelos Estados Unidos nos últimos três anos a fim de sensibilizar os cristãos sobre a realidade da perseguição, Naghmeh Abedini disse que tem observado "a condição do corpo de Cristo".

fonte: Guiame, com informações de Christian Today

Atualizado: Terça-feira, 12 Janeiro de 2016 as 1:13

Naghmeh, esposa do pastor Saeed Abedini, preso no Irã por sua fé há quatro anos. (Foto: Samaritan Purse)
Naghmeh, esposa do pastor Saeed Abedini, preso no Irã por sua fé há quatro anos. (Foto: Samaritan Purse)

Naghmeh Abedini, a esposa do pastor Saeed Abedini — preso no Irã por sua fé há quatro anos — alertou a igreja sobre a busca desenfreada pela fama e pela riqueza. Tendo viajado pelos Estados Unidos nos últimos três anos a fim de sensibilizar os cristãos sobre a realidade da perseguição, Abedini disse que tem observado "a condição do corpo de Cristo".

"A busca pela fama, riqueza e número de seguidores se tornou normal no mundo cristão. Estamos nos tornando como o mundo, e achamos que está tudo bem quanto a isso. No entanto, as Escrituras tem sérias advertências e até mesmo nos chama de inimigos de Deus", disse Abedini neste domingo (10), em uma publicação nas redes sociais.

Abedini iniciou uma pequena campanha de oração por três semanas em sua página do Facebook, que começou no domingo. Ela tem incentivado outros cristãos a se juntarem a ela nesse propósito.

"Que este tempo de oração e jejum nos coloquem de joelhos. Que seja um tempo de arrependimento diante de Deus, admitindo nosso adultério e inimizade para com Deus. O avivamento começa com a gente admite a nossa verdadeira condição e se voltar para Deus", disse ela.

Desde que seu marido foi preso no Irã, em 2012, Abedini, que é mãe de dois filhos, iniciou uma campanha para sua libertação. A fé de Abedini custou caro quando, aos nove anos de idade, ela se converteu do islamismo.

"Quando eu me tornei uma seguidora de Jesus com aos nove anos, eu tive que deixar tudo que eu tinha aprendido como uma muçulmana, com o custo da rejeição e da perseguição que veio da minha própria família", disse ela.

Seu marido, Saeed, está detido na prisão de Rajai Shahr, acusado ​​de atentar contra a segurança nacional. Ele foi preso pela primeira vez em 2009 por ter iniciado uma comunidade de cristãos que se reuniam secretamente. Mais tarde, Saeed foi liberto depois de prometer que iria organizar igrejas domésticas formalmente.

Saeed foi preso pela segunda vez ao retornar para o Irã em 2012, para ajudar a construir um orfanato. Ele foi detido sem acusações até janeiro de 2013, quando recebeu sua sentença de oito anos.

veja também