Campanha contra a perseguição de cristãos iraquianos se espalha pelo mundo

Usando a hashtag "#WeAreN" (#NósSomosN") cidadãos e governantes de diversos países estão se protestando contra a violência promovida por grupos terroristas no Iraque.

fonte: Guiame

Atualizado: Terça-feira, 12 Agosto de 2014 as 9:33

Campanha contra a perseguição de cristãos iraquianos se espalha pelo mundoProtestos que alertam para a situação dos cristãos iraquianos estão sendo se espalhando pelo mundo, graças - pelo menos em parte - à campanha "#WeAreN" ("#NósSomosN") que chamou a atenção para a perseguição sem precedentes, destacando Árabe letra "N", que os militantes ISIS têm colocado nas portas das casas dos cristãos em Mosul.

O senador texano (EUA) Ted Cruz tuitou, "#NósSomosN e estamos em solidariedade com os cristãos iraquianos perseguidos", acrescentando um link para um artigo na National Review sobre o sucesso da campanha, e exortando seus seguidores: "RT se você também está conosco!"

O artigo observa que a campanha "#WeAreN" ajudou com protestos nos Estados Unidos e em todo o mundo em favor dos cristãos, que obrigados a fugir de suas casas em Mosul e em outras partes do Iraque, que agora estão sob o controle dos militantes sunitas da ISIS.

Os líderes ocidentais têm sido instados a pôr fim ao genocídio através de demonstração na França, Dinamarca, Alemanha, Inglaterra, Suécia, Austrália, Canadá e muitas cidades nos EUA, à medida que apoiadores em todo o mundo foram mudando suas fotos dos perfis do Twitter foto com uma imagem do letra árabe ن ou "N", que significa "Nazareno" ou "Cristão" em árabe.

Cerca de 2.500 assírios americanos reuniram-se no último domingo, 10/08, em Detroit, Michigan (EUA), onde cerca de 120 mil assírios vivem. Os manifestantes seguravam cruzes de madeira vermelha e usavam camisetas dizendo: "Parem de matar os cristãos iraquianos".

Cerca de 4.000 assírios em Chicago, Illinois, e mais de 1.000 em San Francisco, Califórnia, realizaram comícios semelhantes na última sexta-feira, 08/08.

Cerca de 150 manifestantes marcharam pelas ruas do centro de Detroit, Michigan, no dia 01 de agosto, de acordo com a "Catholic News Agency". Eles gritavam frases como "Obama, Obama, onde está você? Cristãos iraquianos precisam de você!" e "Parem com a violência no Iraque!".

Também em 01 de agosto, cerca de mil outros manifestantes se reuniram na Igreja Católica Caldeia Mãe de Deus, em Troy, Michigan, para uma vigília de oração liderada pelo bispo caldeu Francis Kalabat.

Na França, em Lyons, o Cardeal Philippe Barbarin liderou uma delegação da igreja para o Curdistão, no mês passado para "expressar sua solidariedade em carne e osso" com os cristãos iraquianos, segundo o The Tablet.

Em Paris, dois ministros ofereceram asilo aos cristãos do Iraque, e 100 membros do parlamento juntaram manifestantes contra o ISIS na última semana de julho, de acordo com o o grupo de comunicação curdo "Rudaw".

Protestos também ocorreram fora do Parlamento Britânico, em Londres. Já na Austrália, o Conselho Nacional de Igrejas exortou o governo a pressionar o Conselho de Segurança da ONU para aliviar o sofrimento dos cristãos iraquianos.

A Igreja da Inglaterra também já havia mudado a sua foto de perfil das redes sociais para a letra árabe que corresponde ao "N", escrevendo: "Estamos mudando a nossa imagem para nos juntamos àqueles que demonstram solidariedade para com os cristãos perseguidos em Mosul #NósSomosN"

ISIS, também conhecido como Estado Islâmico, é um ramo da Al-Qaeda, e obteve significativos ganhos militares no Iraque nos últimos meses. Ele pediu minorias para fugir, se converter ao islamismo, ou ser morto.

Mark Árabe, porta-voz nacional para o empresário iraquiano cristãos e caldeu-americano, disse na semana passada que o "mal" que está sendo realizado por militantes ISIS agora inclui decapitações chocantes de crianças.

"Eles estão decapitando sistematicamente crianças, mães e pais. O mundo não tem visto um mal como este para uma geração. Há realmente um parque em Mosul que eles realmente decapitado crianças e colocar a cabeça em uma vara", disse Árabe CNN.

"E eles têm-los no parque. Esta é a crimes contra a humanidade. Todo o mundo deve se unir. Isto é muito mais amplo do que uma comunidade ou fé. Esta é a crimes contra a humanidade e que estão fazendo o mais horrendo, a mais de partir o coração coisas que você pode pensar ", acrescentou.

Com informações do Christian Post

*Tradução por João Neto - www.guiame.com.br 

veja também