Casal cristão é protegido pela polícia ao ser linchado por muçulmanos no Paquistão

Os dois cristãos viviam em condição muito pobre, e por isso usavam para dormir uma bandeira velha forrada com papéis com inscrições em árabe. Os inscritos foram confundidos com versículos do Alcorão pelos habitantes.

fonte: Guiame, com informações de G1

Atualizado: Segunda-feira, 6 Julho de 2015 as 10:39

Mulheres paquistanesas reivindicam mais segurança às igrejas. (Foto: Reuters)
Mulheres paquistanesas reivindicam mais segurança às igrejas. (Foto: Reuters)

 

Um clérigo foi preso pela polícia paquistanesa nesta sexta-feira (3), depois de incitar uma multidão a matar um casal cristão que teria supostamente cometido blasfêmia.

Uma multidão de muçulmanos se reuniu para encurralar e lichar o casal, que foi salvo a tempo pela polícia na cidade de Makki, província de Punjab.

Outro clérigo também foi preso logo após o incidente.

Os dois cristãos viviam em condição muito pobre, e por isso usavam para dormir uma bandeira velha forrada com papéis com inscrições em árabe. Os inscritos foram confundidos com versículos do Alcorão pelos habitantes.

Cristianismo no Paquistão

Os cristãos, que representam 2% da população majoritariamente muçulmana do Paquistão, tem sido cada vez mais alvo de agressões nos últimos anos. De acordo com um ranking desenvolvido pela Portas Abertas, o país é o 8º que mais persegue cristãos em todo o mundo. 

A lei de blasfêmia é o principal mecanismo de perseguição no Paquistão. Grupos extremistas incitam o ódio contra os cristãos, resultando em prisões, agressões, sequestros, estupros e ataques a casas e igrejas.

A comunidade cristã local vive no meio do fogo cruzado entre organizações militantes islâmicas, que alvejam cristãos rotineiramente, e uma cultura islamizada que mantém os cristãos isolados do restante da população. Mulheres de grupos minoritários são particularmente vulneráveis, e ataques sexuais contra meninas cristãs continuam a ocorrer.

veja também