Cinco pastores foram presos na China por cometerem "atividades de culto"

Além da prisão, a igreja foi forçada a encerrar todas as suas atividades, e suas reuniões foram proibidas.

fonte: Guiame, com informações de Christian Today

Atualizado: Quarta-feira, 18 Novembro de 2015 as 12:19

A China tem reprimido o cristianismo como resposta ao relevante crescimento da religião no país. (Foto: Julio Severo)
A China tem reprimido o cristianismo como resposta ao relevante crescimento da religião no país. (Foto: Julio Severo)

A Igreja Cristã 71st Street, localizada na província de Henan, foi invadida por oficiais do governo durante um treinamento bíblico. Dentre os 70 líderes da igreja que estavam participando, cinco foram detidos por 15 dias pelo departamento policial de Xigong.

Os cinco pastores, identificados como Shen Jianghua, Li Jianghua, Li Jia'en, Ms Li Jiangtao e Liang Jing, foram acusados ​​de "usar uma organização de culto para minar a aplicação da lei".

A igreja foi forçada a encerrar todas as suas atividades, e suas reuniões foram proibidas. O pastor da 71st Street, Li Jia'en, disse que a igreja deve continuar pagando o aluguel do prédior, mas não poderá usá-lo.

"As lojas, nas proximidades, receberam cartões de segurança pública indicando que elas devem ligar para a polícia se observarem que estamos nos encontrando na igreja", acrescentou Jia'en.

Repressão

A China tem reprimido o cristianismo como resposta ao relevante crescimento da religião no país. Cerca de 1.700 igrejas foram demolidas ou tiveram suas cruzes removidas na província de Zhejiang. 

Ativistas acreditam que Zhejiang esteja sendo usada pelo governo como um teste inicial, e temem que as medidas anti-cristãs sejam brevemente implementadas em outras províncias.

veja também