Condenado à prisão perpétua, pastor canadense é submetido a trabalhos forçados na Coreia do Norte

Hyeon Soo Lim pediu às autoridades que pudesse ter com ele, uma cópia da Bíblia, mas ainda não teve seu pedido atendido. Ele ainda afirmou que ora todos os dias para que as Coreias do Norte e do Sul possam ser unificadas.

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Segunda-feira, 11 Janeiro de 2016 as 10:14

Um pastor canadense que está cumprindo uma sentença de prisão perpétua na Coréia do Norte, acusado de "subversão", disse em entrevista à CNN que ele passa oito horas por dia cavando buracos em um campo de trabalhos forçados, no qual ele não tem contato com quaisquer outros prisioneiros.

Hyeon Soo Lim, um canadense nascido na Coréia do Sul, que foi o pastor titular de uma das maiores igrejas do Canadá, foi preso pelas autoridades norte-coreanas desde fevereiro. Lim, que estava com 60 anos de idade na época de sua detenção, foi condenado a trabalhos forçados pelo resto de sua vida, em dezembro para tentar derrubar o regime do Norte.

"Eu não era originalmente um trabalhador deste tipo, de modo que o trabalho foi difícil no começo", disse Lim. "Mas agora eu me acostumei com isso".

As acusações contra Lim não têm provas suficientes, mas o pastor disse que podem ter relação com sua crítica aberta de três gerações de líderes da Coréia do Norte.

"Eu admito que eu violei o sistema, a ordem e as autoridades deste governo", disse Lim na entrevista que foi ao ar na última segunda-feira. Questionado se o seu maior crime foi falar mal dos líderes da Coréia do Norte, ele disse: "Sim, acho que sim".

Lim, que foi entrevistado em um hotel de Pyongyang (Coreia do Norte), teve o seu cabelo cortado e vestia um uniforme da prisão, ostentando o número "036" em seu peito. Ele trabalha oito horas por dia, seis dias por semana cavando buracos em um pomar de um um campo de trabalho onde ele não tem contato com outros presos, informou a CNN.

Lim recebe três refeições diariamente e atenção médica regular, informou a emissora. Sua igreja disse que Lim teve um "grave problema de saúde, com pressão arterial muito elevada".

A igreja também informou que o pastor tinha visitado a Coreia do Norte mais de 100 vezes, desde 1997 e ajudou a criar um orfanato e um lar para idosos. Lim, que tinha vivido no Canadá desde 1986, é o único cidadão ocidental que se tem conhecimento de estar atualmente no país.

Ele pediu às autoridades que pudesse ter com ele, uma cópia da Bíblia, mas ainda não teve seu pedido atendido. Ele ainda afirmou que ora todos os dias para que as Coreias do Norte e do Sul possam ser unificadas. Desta forma, uma situação como a sua não aconteceria novamente.

veja também