"Condenar o terrorismo não é suficiente para a segurança dos cristãos", diz Portas Abertas

O CEO da Missão Portas Abertas, David Curry disse que "meras palavras não são suficientes para resolver o problema" da perseguição religiosa e apontou a necessidade de mais ação dos governantes ocidentais.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Terça-feira, 5 Abril de 2016 as 4:46

Cristãos paquistaneses protestam contra a perseguição religiosa. (Foto: Reuters)
Cristãos paquistaneses protestam contra a perseguição religiosa. (Foto: Reuters)

A Missão Portas Abertas dos Estados Unidos - um grupo de vigilância da perseguição religiosa - alertou que os governos do mundo estão 'simplesmente condenando' ataques contra os cristãos, como o que aconteceu no domingo de Páscoa no Paquistão, onde 73 pessoas foram mortas. Porém a organização de apoio aos missionários alertou que isto não é suficiente para salvar os cristãos da perseguição.

"Neste momento, alguns líderes estão oferecendo suas condolências após grandes ataques contra os cristãos", disse David Curry - CEO da Portas Abertas - ao Daily Beast. "Eles precisam ir para os países [onde aconteceram esses ataques], reunir-se com seus líderes e as pessoas a encontrar maneiras apartidárias de proteger os cristãos e promover a liberdade religiosa para todos".

O ataque em Lahore foi realizado em um parque de parque de diversões durante um festival de Páscoa, realizado para as famílias. A maioria das vítimas do atentado suicida foram mulheres e crianças. Um grupo dissidente do Taliban, Jamaat-ur-Ahrar, assumiu a responsabilidade e prometeu que, mais ataques "devastadores" contra os cristãos estão sendo planejados.

Os governos de diversos países no mundo - incluindo a administração do presidente Barack Obama - condenaram as ações terroristas e enviou suas condolências às vítimas. Obama exortou os americanos a não permitirem que o medo os impeça de ajudarem as pessoas.

"Os Estados Unidos condenam veementemente o ataque terrorista terrível de hoje em Lahore, Paquistão. Este ato covarde, que teve como alvo os civis inocentes no parque Gulshan-e-Iqbal, matou dezenas e deixou outras dezenas de feridos", disse um porta-voz do governo Obama na ocasião.

"Os Estados Unidos estão com o povo e o Governo do Paquistão nesta hora difícil. Nós enviamos nossas mais profundas condolências aos entes queridos dos mortos e feridos e os nossos pensamentos e orações estão com o povo de Lahore, enquanto eles reagem e se recuperam desta terrível tragédia".

O primeiro-ministro canadense Justin Trudeau acrescentou: "O Canadá condena o bombardeio deplorável em Lahore, Paquistão. Nossos pensamentos e orações estão com todos aqueles mortos ou feridos".


Mais ação
Curry disse que meras palavras não são suficientes para resolver o problema, acrescentando que a mídia ocidental, muitas vezes centra-se fortemente apenas em ataques e vítimas no Ocidente, em vez de noticiar sobre outras regiões do mundo mundo, como as orientais.

"Eu não acredito que a maioria dos americanos tenham uma compreensão exata do estado real da perseguição aos cristãos ao redor do mundo", disse Curry.

Como Curry disse anteriormente, a perseguição dos cristãos chegou a seu nível mais alto na história moderna, com a ascensão do islamismo radical sendo uma das maiores ameaças à vida cristã e à liberdade.

"Isto vai continuar, porque todos os fatores que levaram à perseguição dos cristãos nessas regiões ainda estão no local e eles estão ganhando poder. Existem 43 grupos de todo o mundo que se comprometeram em manter fidelidade ao Estado Islâmico e eu acho vocês vão ver uma expansão dessas células dissidentes perseguirem os cristãos, porque esse é o seu objectivo declarado", disse Curry.

Os cristãos paquistaneses têm clamado por socorro após o ataque, incitando o governo paquistanês a oferecer mais proteção.

"O governo provou que não pode manter as pessoas seguras de modo que o exército deve assumir a segurança", disse o Pastor Shakil Anjum, da Capela das Crianças, após o ataque ocorrido no domingo de Páscoa. "Eles reforçaram a segurança em nossas igrejas, mas agora os terroristas estão vindo para os espaços públicos para nos matar".

Outros grupos de vigilância sobre a perseguição religiosa, incluindo o 'International Christian Concern', também advertiram que os cristãos são vistos como "alvos convenientes" para os terroristas paquistaneses.

veja também