Conheça a história do único fugitivo da pior prisão da Coreia do Norte

Shin Dong-hyuk nasceu no Campo 14 e só saiu de lá aos 40 anos

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Sexta-feira, 31 Outubro de 2014 as 1:58

Shin Dong_CoreiaCampo 14 é o nome do local em que Shin Dong-hyuk esteve preso na Coreia do Norte. Trata-se de uma prisão para presos políticos. Local que o país tenta esconder a existência.

Shin Dong-hyuk é a única pessoa que conseguiu fugir do Campo 14 que se tem notícia. Ele se tornou ativista de direitos humanos e é fundador da organização não governamental (ONG) Liberty for North Korea.

Conheça mais da história do ex-prisioneiro:

Vida no Campo 14

Sua história é impressionante. Dong-hyuk é filho de dois prisioneiros que obtiveram a permissão para dormirem juntos como recompensa por “bom comportamento”, mas que jamais mantiveram uma relação amorosa. Viveu com a mãe até os 12 anos e viu seu pai poucas vezes.

Como a maioria das crianças que nasceu naquele local, Dong-hyuk foi treinado pelos guardas do campo para dedurar atividades suspeitas com as quais tivesse contato. A atitude lhe rendia, por exemplo, um pouco mais de comida.

Um dia soube dos planos de fuga de sua mãe e de seu irmão. Dong-hyuk, então com 14 anos, contou tudo aos guardas esperando pela recompensa, que veio de forma torta. Foi retirado de sua casa e torturado para que revelasse os detalhes do plano. Em troca, ganhou cicatrizes de queimaduras e o peso da culpa pela morte de sua mãe, que foi enforcada em seguida.

Alguns anos depois, o norte-coreano começou a trabalhar na fábrica de tecidos da prisão, onde conheceu o homem que mudaria sua vida. Seu nome era Pak e, segundo relatos de Dong-hyuk, deveria ter uns 40 anos de idade.

Pak já havia viajado por muitos países e contou histórias sobre todas as guloseimas que havia provado e que gostaria de comer mais uma vez. As conversas aos poucos começaram a trazer ao ativista a ideia de liberdade e ele passou a questionar o confinamento que conheceu desde o nascimento.

Meses depois, a dupla estava coletando lenha no topo de uma montanha, bem próxima das cercas eletrificadas que isolavam o campo do mundo exterior. Correram até elas, na tentativa de escapar. Pak ficou preso nos arames e acabou morrendo. Ao vê-lo paralisado, Dong-hyuk usou o seu corpo para se proteger dos choques e conseguiu escapar para a Coreia do Sul.


com informações da Reuters / Exame

 

veja também