“Crianças mortas enquanto dormem é uma vergonha universal”, diz a ONU

Segundo Ban Ki-moon, secretário-geral ad ONU, o ataque à escola foi injustificável

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Quinta-feira, 31 Julho de 2014 as 9:33

ataqueA quarta-feira, 30 de julho, foi um dia difícil para a população de Gaza. A explosão de um mercado durante uma semi-trégua e um ataque à uma escola da ONU espalharam ainda mais pânico.

O ataque à escola gerida pela ONU no campo de refugiados de Jabaliya causou indignação e revolta.

“Na noite passada, crianças morreram enquanto dormiam junto dos seus pais no chão de uma sala de aulas”, resumiu o responsável da UNRWA Pierre Krähenbühl. “Crianças mortas enquanto dormem; isto é uma afronta a todos nós, é uma vergonha universal”, continuou.

Segundo Ban Ki-moon, secretário-geral ad ONU, o ataque à escola foi injustificável, e pede justiça. Além disso, Ban indicou que “a localização da escola foi comunicada 17 vezes às autoridades militares israelitas, a última vez horas antes do ataque”.

Na escola estavam cerca de 3.300 pessoas acomodadas em grupos de 40 por sala. O projétil que atingiu o local fez com que o teto de uma sala caísse. A explosão deixou 19 mortos e cerca de pessoas feridas.

“Foi muito, muito duro para mim ver o sangue e ouvir as crianças a chorar”, contou Khalil al-Halabi, responsável da gestão das escolas na zona, que visitou a escola logo após o ataque. “Estava todo a tremer”, confessou.

“Estas pessoas vieram aqui para terem protecção. Agora perguntam-me se devem ficar ou ir embora. Estão muito assustadas. Não sabem o que fazer", pondera.


com informações de publico.pt

 

 

veja também