Cristã paquistanesa, Asia Bibi fará último apelo para se livrar da pena de morte

Asia Bibi foi condenada à morte em 2010 por "blasfemar contra Maomé". Seu último apelo será ouvido pelo Supremo Tribunal do Paquistão em outubro deste ano.

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Terça-feira, 23 Agosto de 2016 as 9

Asia Bibi foi condenada à morte em 2010. (Foto: Christians in Pakistan)
Asia Bibi foi condenada à morte em 2010. (Foto: Christians in Pakistan)
Asia Bibi, a cristã que está no corredor da morte no Paquistão, terá seu apelo final ouvido pelo Supremo Tribunal do país na segunda semana de outubro.
 
A audiência será a última chance da Bibi para derrubar a decisão que a condenou à morte em 2010, sob as leis controversas de blasfêmia do Paquistão. A data para o retorno de Bibi ao tribunal foi confirmada pela organização 'International Christian Concern' (ICC) e é o meio legal definitivo disponível para evitar sua execução.
 
O advogado de Bibi, Said-ul-Malook, disse à organização cristã: "Vou comparecer perante o Supremo Tribunal do Paquistão e argumentar o caso dela, enquanto ela permanece na prisão. Espero que o resultado seja uma absolvição".
 
O caso deriva de uma disputa que ocorreu entre Bibi e um grupo de mulheres muçulmanas em junho de 2009. Uma discussão teria começado depois que Bibi  que diz que as mulheres islâmicas a consideram impura por causa de sua fé cristã  bebeu da mesma bacia de água que elas usavam.
 
Mais tarde, as mulheres disseram a um clérigo local que Bibi tinha blasfemado contra o Islã, dizendo: "Meu Cristo morreu por mim. O que Muhammad [Maomé] faz por você?".
 
Ela foi condenada à morte em 2010 por um tribunal local de Punjab (fronteira entre Paquistão e Índia) e teve seu apelo à Suprema Corte adiado e remarcado sete vezes. O apelo foi finalmente ouvido no dia 16 de outubro de 2014 na Alta Corte de Lahore, mas Anwar-ul-Haq, um dos dois juízes que ouviram o apelo, confirmou a sentença de morte da mulher.
 
A Suprema Corte do Paquistão aceitou a petição para revisar o caso em 22 de julho de 2015 e sua sentença de morte foi suspensa. Na época, o advogado dela, Malook, disse estar "otimista" sobre a possibilidade do tribunal absolver Bibi. "O padrão de evidência que é necessário para provar que [este] delito, não está disponível neste caso", disse ele.
 
A cristã Asia Bibi já afirmou que perdoa aqueles que estão acusando-a injustamente. (Foto: Reuters)
 
Se o apelo de Bibi for anulado, sua única chance de evitar a execução será por meio do perdão presidencial.
 
Uma série de grupos de direitos humanos e instituições de caridade de liberdade religiosa, incluindo a ICC, consideram o caso de Bibi um indicativo de como as leis de blasfêmia do Paquistão são usadas contra grupos minoritários.
 
O gerente regional da ICC, William Stark, disse que o caso é "um dos melhores exemplos" de cristãos sendo alvejados "pelos radicais que empunham controversas leis de blasfêmia do Paquistão". Ele acrescentou que tais leis são um "abuso e, muitas vezes, usadas como uma ferramenta para acertar contas pessoais ou espalhar o ódio religioso".
 
Stark continuou: "As ameaças de grupos radicais islâmicos e a discriminação geral contra os cristãos no Paquistão transformaram os tribunais selos para acusações de blasfêmia, movidas contra os cristãos, independentemente da evidência trazida para somar ao caso.
 
"A esperança da ICC é que o Supremo Tribunal venha a resistir a essas pressões e decida o caso de Bibi sobre o mérito verdadeiro", destacou.
 
"Se assim for feito, acreditamos que a única conclusão do tribunal será absolver Bibi. Essa decisão vai estabelecer uma base para passos práticos em direção à harmonia religiosa no Paquistão e será um sinal de que a justiça irá prevalecer sobre o extremismo nos tribunais do Paquistão, mesmo quando o membro de uma religião minoritária for acusado de blasfêmia".

veja também