Cristãos levam caminhão para servir refeições à vítimas de enchente, no Rio grande do Sul

Cerca de 6,6 mil moradores do município de Rolante foram atingidos pela catástrofe. Por meio do caminhão, as vítimas recebem atendimento psicológico, podem lavar suas roupas e ganham refeições.

fonte: Guiame, com informações do site Notícias Adventistas

Atualizado: Segunda-feira, 9 Janeiro de 2017 as 1:28

O caminhão tem aproximadamente 45 metros quadrados e é dividido em três compartimentos. (Foto: Reprodução).
O caminhão tem aproximadamente 45 metros quadrados e é dividido em três compartimentos. (Foto: Reprodução).

Vários cristãos se uniram para ajudar as vítimas de uma enchente que prejudicou os moradores do município de Rolante, no Rio Grande do Sul. A força-tarefa teve o objetivo de amenizar o sofrimento dos que perderam imóveis e bens. Cerca de 6,6 mil moradores da região foram atingidos pela catástrofe. De acordo com a Prefeitura, mais de 70% da população foi afetada.

Percebendo a grande necessidade de ajuda, a ADRA (Agência Humanitária Adventista), levou um caminhão para a região. De acordo com a reportagem do Portal G1, “para ajudar os atingidos, a organização não governamental (ONG) trouxe de São Paulo um caminhão que pode servir 15 mil refeições por dia – café da manhã, almoço e janta. O veículo é da Agência Adventista de Recursos Assistenciais (ADRA)”, diz a matéria.

“Conforme o diretor da entidade no Rio Grande do Sul, Paulo de Tarso, o veículo dispõe ainda de uma lavanderia industrial que pode lavar e secar 40 quilos de roupa por hora. Um terceiro espaço também permite atendimento psicológico para os atingidos”, pontua o registro.

O caminhão tem aproximadamente 45 metros quadrados e é dividido em três compartimentos destinados, cada um, a atender às principais necessidades da população: preparo de alimentação quente, lavagem e secagem de roupas e realização de apoio psicológico.

Necessidades

Ainda de acordo com a reportagem do G1, o coordenador da Defesa Civil de Rolante, Leandro Luiz Gottschalk, informou as necessidades mais importantes das vítimas. “Os desabrigados precisam de material de limpeza e higiene, alimentos e móveis”. Ele ainda ressalta que “não há mais necessidade de roupas”.

Leandro informa que as vítimas precisam de caminhões com bombas para a retirada de água do rio com o objetivo de fazer a limpeza da cidade, serviço que está sendo feito com auxílio do Exército.

Confira a reportágem do G1:

veja também