Cristãos presos por fazer reuniões de oração são libertos no Irã

Ainda que, oficialmente, tenha sido concedida apenas uma licença temporária, os homens acreditam que não precisarão retornar à prisão.

fonte: Guiame, com informações de Portas Abertas

Atualizado: Quinta-feira, 10 Dezembro de 2015 as 9:35

Ainda que, oficialmente, tenha sido concedida apenas uma licença temporária, os homens acreditam que não precisarão retornar à prisão. (Foto: Reprodução/ Portas Abertas)
Ainda que, oficialmente, tenha sido concedida apenas uma licença temporária, os homens acreditam que não precisarão retornar à prisão. (Foto: Reprodução/ Portas Abertas)

Três dos sete cristãos presos durante uma reunião de oração em uma igreja doméstica no Irã foram libertos da prisão no sul da cidade de Shiraz. Ainda que, oficialmente, tenha sido concedida apenas uma licença temporária, os homens acreditam que não precisarão retornar à prisão. As informações são da ONG Middle East Concern.

Mehdi Ameruni, Seyed Bijan Farokhpour Haghigi, Eskander Rezai e mais quatro cristãos foram presos em uma reunião de oração que acontecia na cidade em que foram presos, em outubro de 2012. Os sete, todos de uma igreja iraniana, receberam penas de prisão de um a três anos alegando em oposição a eles uma "ação contra a segurança nacional" e "propaganda contra a ordem do sistema".

Do grupo, apenas Massoud Rezai e Mohammed Vahid Roghangir, líder da igreja doméstica, permanecem presos. Enquanto isso, a agência cristã de notícias Mohabat News reivindica uma nova estratégia do governo iraniano que propõe oferecer liberação temporária aos cristãos desde que eles deixem o país, ou seja, contra a própria vontade.

O ministério Portas Abertas frequentemente apresenta casos como esse no Irã. Muitos pastores, líderes e membros de igrejas são presos no país por sua conversão ao cristianismo. Muitas vezes, as prisões ocorrem dentro da igreja ou de suas próprias casas. 

veja também