Cristãos russos dizem que não vão parar de evangelizar, apesar da nova lei

No início do mês de julho, o presidente russo, Vladimir Putin aprovou a "lei anti-terrorismo", que também acaba proibindo a evangelização fora das igrejas. Mas os cristãos locais estão lutando contra esta imposição.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Quinta-feira, 4 Agosto de 2016 as 12:20

Vladimir Putin assiste a missa em igreja ortodoxa russa. (Foto: BBC)
Vladimir Putin assiste a missa em igreja ortodoxa russa. (Foto: BBC)

Os cristãos na Rússia disseram que estão determinados a pregar o Evangelho e cumprir a Grande Comissão, apesar das novas leis rígidas, assinadas pelo presidente Vladimir Putin que proíbem a evangelização fora das igrejas.

O Centro eslavo para Lei e Justiça (SCLJ) - filial do Centro Americano para Lei e Justiça (ACLJ) - disse que uma nova maneira de realizar o trabalho missionário na Rússia terá de ser estabelecida.

A lei proíbe todas as atividades missionárias em áreas residenciais e exige que os cristãos que querem compartilhar sua fé com os outros, mesmo na internet, obtenham documentos de autorização de uma associação religiosa. A lei também impõe uma multa de 75 a 765 dólares, se o infrator for um cidadão russo. Porém essa multa pode chegar 15.265 dólares, caso a 'infração' tenha sido cometida por uma organização e poderia levar a deportação, caso os infratores sejam estrangeiros.

"Uma série de restrições sobre o trabalho missionário foi introduzida e uma responsabilidade legal foi posta em prática pela violação destas novas leis", explicou a SCLJ, promovendo um 'webinário' (seminário online), nesta quinta-feira (4), com o objetivo de resolver esta questão.

A organização está buscando para rever as alterações à lei da Rússia, quando se trata da liberdade de consciência e as atividades da instituições religiosas; os direitos dos cidadãos estrangeiros em realizar atividades missionárias na Rússia; e como realizar o trabalho missionário no maior país do mundo sem infringir a lei.

"Por favor, orem por nossos irmãos e irmãs em Cristo na Rússia e repassar as informações sobre este webinar ao seu pastor e quaisquer outras pessoas que podem saber sobre missionários na Rússia, que podem considerar útil", o ACLJ acrescentou em um comunicado. "Vamos continuar a defender os cristãos ao redor do mundo para garantir os seus direitos para compartilhar sua fé estão protegidos."

Milhares de igrejas em toda a Rússia se uniram em uma grande corrente de oração e jejum no último mês de julho, contra a lei de Putin, que pune eficazmente qualquer tipo de evangelização religiosa fora das igrejas.

A lei destina-se a "impedir a propagação do terrorismo e do extremismo", mas também acaba punindo aqueles que buscam compartilhar sua fé em lugares de culto que não sejam sancionados pelo Estado.

Hannu Haukka, presidente de mídia da Grande Comissão de Ministros da Rússia, disse no Enconto Nacional de Comunicadores Cristãos, nos EUA que a nova legislação é a ação mais restritiva da Rússia na "história pós-soviética".

"Esta nova situação assemelha-se à União Soviética em 1929. Naquele tempo, a confissão de fé só era permitida na igreja", disse Haukka. "Em termos práticos, estamos de volta na mesma situação. Essas leis anti-terroristas são algumas das leis mais restritivas na história pós-soviética."

Thomas J. Reese, presidente da Comissão dos Estados Unidos sobre Liberdade Religiosa Internacional, também criticou a lei, avisando que a alteração iria "intensificar a repressão das comunidades religiosas por parte das autoridades russas, sufocando a dissidência pacífica e prendendo pessoas".

 

veja também