Cristãos se preocupam com possível efetivação de tribunais islâmicos na Tanzânia

Ideia é que esses tribunais julguem questões específicas de acordo com a crença islâmica

fonte: Guiame, com informações da Portas Abertas

Atualizado: Sexta-feira, 10 Abril de 2015 as 12:22

Jakaya Kikwete
Jakaya Kikwete

Tribunais 'Khadi' são estudados e podem ser estabelecidos na Tanzânia, mas a proposta ainda está em discussão no Parlamento.

Os tribunais 'Khadi' permitem que muçulmanos imponham casamento, divórcio, herança e direitos familiares em suas comunidades de acordo com a crença islâmica e seus vereditos passam a ser reconhecidos oficialmente pelos tribunais do país.

Jakaya Kikwete, o presidente muçulmano da Tanzânia, alega que tais tribunais só julgariam questões islâmicas específicas, não receberiam financeiro do Estado e permaneceria inferior aos tribunais seculares.

Mas os líderes cristãos do país ponderam o quanto a medida pode prejudicar o estado secular da Tanzânia. As tensões entre muçulmanos e cristãos têm aumentado frente a um referendo constitucional previsto para o final de abril, segundo o presidente.

A população da Tanzânia é igualmente dividida entre cristãos e muçulmanos e o presidente do país alerta sobre a intervenção de líderes religiosos na política, estimulando a violência.

veja também