Cristãos sírios clamam por Dia Internacional de Oração por seu país

O dia de oração foi solicitado, após o bombardeio intensivo que recentemente trouxe ainda mais devastação para a cidade, matando centenas e até mesmo atingindo hospitais, de acordo com a Missão Portas Abertas.

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Domingo, 8 Maio de 2016 as 3:57

Bombardeios contra Aleppo atingiram hospitais, casas e centenas de civis, no dia 30 de abril. (Foto: Reuters)
Bombardeios contra Aleppo atingiram hospitais, casas e centenas de civis, no dia 30 de abril. (Foto: Reuters)

Neste domingo (8), cristãos de Aleppo (Síria) se uniram para fazer um apelo de nível internacional, pedindo por um dia oficial de orações por seu país.

O dia de oração foi solicitado, após o bombardeio intensivo - resultanta da guerra entre o Estado Islâmico e forças armadas sírias - que recentemente trouxe ainda mais devastação para a cidade, matando centenas e até mesmo atingindo hospitais, de acordo com a Missão Portas Abertas - grupo de vigilância que os cristãos perseguidos em todo o mundo.

Uma das pessoas mortas nos últimos bombardeios foi um bebê que havia acabado de nascer.

"Estamos pedindo-lhes que se juntem a nós em um dia de oração e jejum internacional por Aleppo, pela Síria. Estamos nos recusando a ver mais mortes em nosso país e estamos declarando a ressurreição de Cristo em nosso amado país", disse um cristão de Aleppo.

Outro homem descreveu o ataque que atingiu um hospital alguns dias atrás: "Hoje, o hospital onde minha esposa deu à luz a nossa filha, foi atingido. Aquele era o melhor hospital maternidade em Aleppo. Ele também era considerado como um dos mais importantes hospitais para o tratamento de infertilidade no Oriente Médio".

"Para mim e minha esposa, isto muito simbólico. Era o local onde minha filha nasceu e um lugar onde os novos bebês chegam a este mundo e novas vidas começam. Hoje ele está cheio de morte e destruição".


Apoio

No início do ano, a Missão Portas Abertas firmou parceria com uma igreja local em Aleppo para cavar um poço e garantir garantir o fornecimento de água potável para a cidade, após o abastecimento de água ter sido cortado em 2014 e 2015. No ano passado, o grupo também atendeu cerca de 50.000 pessoas na Síria, doando alimentos, medicamentos e pagando aluguéis.

Um líder cristão de Aleppo disse no início deste ano que o povo sírio vive um contexto "difícil e cansativo".

"A situação que vivemos em Aleppo tornou-se muito difícil e cansativa. Não há nenhuma renda para a maioria das famílias na cidade. Nosso trabalho nunca para, mas aumenta mês a mês... estamos também trabalhando para apoiar as pessoas psicológica e moralmente, porque nos preocupamos com todos os aspectos dessas vidas", afirmou em um comunicado a organizações cristãs ocidentais, como a Missão Portas Abertas.

"As pessoas em Aleppo oram por vocês e o seu auxílio é de grande ajuda para elas. Obrigado. Nós os apoiamos com tudo o que podemos e com toda a nossa força, porque as pessoas em Aleppo estão muito cansadas e até mesmo se desesperaram por causa desa situação".

Atualmente, a Síria está na 5ª posição, entre os países com nível mais alto de perseguição religiosa, listados pela Missão Portas Abertas.

veja também