Deficiente visual, mãe de cristão preso no Irã implora para que autoridades o libertem

A mãe do prisioneiro cristão Ebrahim Firouzi afirmou que devido à sua deficiência não tem condições de visitar o filho na prisão, nem acompanhar o julgamento dele nos tribunais.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Quinta-feira, 25 Agosto de 2016 as 1:44

Mulher iraniana abraça um colega que acabara de ter a boca costurada durante um protesto na fronteira da Grécia com a Macedônia. (Foto: Reuters)

A mãe de um prisioneiro cristão iraniano pediu às autoridades do país que libertem seu filho, explicando que devido ao fato dela ter deficiência visual, não está conseguindo ter acesso à prisão para visitá-lo.

A agência de notícias iranianas 'Mohabat News' informou na última terça-feira (23), que o prisioneiro, Ebrahim Firouzi, é uma das várias pessoas que estão sendo mantidas em prisões do Irã, por causa de sua fé em Jesus Cristo. Firouzi recentemente se recusou a comparecer a uma audição do tribunal de apelações, porque as autoridades não lhe permitem acessar seus documentos de defesa. A audiência também foi adiada por mais quatro meses, porque o juiz nomeado não estava presente.

O Conselho Nacional de Resistência do Irã observou que Firouzi foi preso em agosto de 2013 e em 2015 ele foi condenado a cinco anos de prisão sob a acusação de "agir contra a segurança nacional" - acusação feita contra a maioria das pessoas que são presas por causa de sua declaração de fé.

A mãe de Firouzi pediu às autoridades iranianas que lidem com o caso de seu filho de forma justa e o libertem.

"Em prantos, mãe idosa de Firouzi entregou a mensagem para as autoridades, disse que ela é deficiente visual e não há nada que ela possa fazer, que não tem ninguém para ajudá-la. Ela disse que não tem condições de ir ao tribunal e acompanhar o caso de seu filho", relatou o site 'Mohabat News'.

"Ela acrescentou que sente falta de seu filho e, por causa de sua deficiência visual, não conseguiu visitar na prisão. Ela implorou às autoridades que libertassem seu filho para que ele possa voltar para casa".

Ebrahim Firouzi está sendo mantido preso no Irã, por causa de sua fé em Jesus Cristo. (Foto: Mohabat News)


Contexto
Os cristãos enfrentam perseguição pesada na República Islâmica, incluindo a repressão e sentenças de prisão, simplesmente porque exercem sua fé naquele país.

Igrejas domésticas não são permitidas e as pessoas que se converteram ao cristianismo já foram espancadas e presas por se reunirem para celebrar cultos, em numerosas ocasiões.

Um dos casos de perseguição religiosa que têm sido acompanhando pela organização 'Christian Solidarity Worldwide' - que tem sua base principal no Reino Unido - é o do Pastor Yousef Nadarkhani, líder de uma igreja doméstica do Irã. Depois de ter sido preso e liberto diversas vezes, o pastor continua sendo acusado de diversos 'crimes' - entre eles, o de conspirar contra a segurança do país - e uma multa abusiva está sendo cobrada, para que as acusações contra o seu nome sejam retiradas.

"Infelizmente, não é incomum que os cristãos que foram presos por causa de suas crenças religiosas sejam libertos e tempos depois sejam presos novamente. Esta é uma tática para fomentar um sentimento de insegurança dentro da comunidade", acrescentou o chefe executivo da organização cristã", Mervyn Thomas.

veja também