Detidos por impedirem a retirada da cruz da igreja, cristãos chineses foram libertados

Os três cristãos foram presos após atrapalharem funcionários de retirar a cruz da igreja por ordem do governo

fonte: Guiame, com informações da China Aid / Portas Abertas

Atualizado: Sexta-feira, 20 Março de 2015 as 3:20

Igreja na China
Igreja na China

Presos por protegerem a cruz de sua igreja em um ataque do governo, três cristãos chineses foram libertados no dia 6 de março.

Ou Jinsi, Ji Qingcou e Ji Qingcao, da Igreja Yazhong, foram liberados das sentenças de 136 dias, 62 dias e 57 dias de detenção, respectivamente.

A igreja a qual os cristãos pertencem foi notificada pelo secretário da cidade a remover a cruz do templo até o final de agosto de 2014.

Diante da notificação, alguns membros se revezaram para proteger a cruz dia e noite. Ou Jinsi foi detido enquanto estava de plantão na cruz. Meses depois, os outros dois homens também foram presos quando tentavam negociar com os funcionários responsáveis por retirar a cruz.

Os três foram acusados de "reunir uma multidão para perturbar a ordem pública" e "obstruir negócio oficial". Eles foram absolvidos das acusações e anteriormente se recusaram a assinar confissão ou pagar fiança.

"Durante todo o processo, o que o governo fez foi ilegal. Temos vídeos que podem ser usados como prova. O governo não pode pressionar as igrejas assim. Nós até apresentamos uma petição às autoridades superiores; eles libertaram os detidos, como resultado de nossa solicitação. Nós, inclusive, contratamos advogados", disse Lin, um membro da igreja.

 

 

.

veja também