Diretor da ADRA Brasil conta como foi viagem de ajuda às Filipinas

Diretor da ADRA Brasil conta como foi viagem de ajuda às Filipinas e agradece pelas doações

Atualizado: Segunda-feira, 17 Fevereiro de 2014 as 8

Adra nas FilipinasNo final de 2013, um tufão devastou as Filipinas, afetando milhares de pessoas.
 
Paulo Lopes, diretor da Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistienciais, a ADRA Brasil, foi até as Filipinas em janeiro para levar ajuda à população.
 
Em uma das publicações feitas na rede social Facebook, ele cita alguns números do estrago que o tufão causou:
 
14.1 milhão de pessoas afetadas, 4.1 milhão de pessoas desalojadas, 1.1 milhão de casas destruídas ou parcialmente destruídas, 6.166 mortos confirmados, e 1.785 pessoas desaparecidas.
 
O pastor também relata a situação mesmo após dois meses do ocorrido: "Dois meses depois do Tufão Haiyan, as necessidade ainda são tremendas por aqui, principalmente para abrigos temporários para milhares de pessoas que perderam suas casas. As necessidade são muito maiores do que todas as dezenas organizações humanitárias juntas podem suprir."
 
No final do mês de janeiro, Paulo Lopes retornou ao Brasil. Antes de voltar, ele publicou uma foto em frente ao escritório nacional da ADRA e agradeceu por toda ajuda que a agência recebeu com doações.
 
"Depois de três semanas, hoje terminei minha missão aqui na ADRA Filipinas e amanhã começo minha viagem de volta para o Brasil. Foram três semanas muito intensas e muito gratificantes. O povo filipino é muito amável e resistente. Antes de sair, tiramos esta foto em frente do escritório nacional da ADRA Filipinas. Logo depois do tufão Raiyan ter atingido o país, fizemos uma campanha no Brasil e arrecadamos mais 50 mil dólares. Aí está a mensagem de muito obrigado a todos vocês que doaram para o SOS - Filipinas. Sou testemunha de que o dinheiro foi muito bem utilizado aqui, e junto com as doações que chegaram de todo o mundo, já foi possível para a ADRA ajudar mais de 160 mil pessoas nas áreas afetadas. Muitas milhares mais serão apoiadas nos próximos meses."
 
 

veja também