Educação islâmica pode ser obrigatória em Brunei, inclusive para cristãos

"Brunei será vista como mais uma ilha muçulmana, e isso não está de acordo com a realidade", lamenta analista da Portas Abertas

fonte: Guiame, com informações da Portas Abertas

Atualizado: Sexta-feira, 25 Setembro de 2015 as 3:57

Educação islâmica
Educação islâmica

Na Conferência Islâmica que aconteceu recentemente em Brunei, o ministro internacional para assuntos religiosos falou a respeito da educação islâmica para o desenvolvimento de uma sociedade pacífica.

De acordo com relatórios da Portas Abertas, Brunei ganhou mais destaque quando o sultão anunciou a introdução da sharia (lei islâmica) em três etapas. "Embora a introdução completa do segundo nível ainda esteja pendente, a recente observação do ministro da Educação mostra que o Estado dá ênfase ao islã"

“Levando em conta que cerca de 16% dos cidadãos não são muçulmanos, eles serão obrigados a receber educação islâmica também? Sendo assim, Brunei será vista como mais uma ilha muçulmana, e isso não está de acordo com a realidade. Como será a vida para os cristãos que vivem lá?”, questiona o analista de perseguição da Portas Abertas.

A organização pede que a Igreja ore em favor dos políticos e dos cristãos em Brunei.

 

veja também