As eleições na Nigéria podem resultar em um massacre de cristãos, alerta ativista

As eleições presidenciais estão marcadas para o dia 14 de fevereiro e poderão decretar a oposição de um Estado Islâmico.

fonte: Guiame, com informações de Charisma News

Atualizado: Sexta-feira, 6 Fevereiro de 2015 as 12:25

 

A vida dos cristãos no norte da Nigéria é diariamente arriscada. Defender o nome de Jesus tem custado suas vidas, e após as eleições presidenciais marcadas para o dia 14 de fevereiro, a previsão é que isso piore.

"A próxima eleição provavelmente será como o filme ‘O Massacre do Dia dos Namorados’ para pobres cristãos do norte da Nigéria", alertou Emmanuel Ogebe, o advogado de Direitos Humanos, durante uma audiência no Congresso, em 27/01.

Ann Buwalda, diretora da  Campanha Jubileu , acredita que existem três principais componentes que contribuem para os ataques. "O primeiro é o fato de que 13 estados do norte da Nigéria têm a lei da Sharia (a lei islâmica), e a comunidade cristã é minoria", explicou ela. "Em segundo lugar, há um candidato da oposição muçulmana contestando a eleição contra o candidato cristão Goodluck Jonathan".

O terceiro componente que Buwalda aponta está nos ataques de Boko Haram. "Boko Haram quer desestabilizar o país em seus esforços para remover a democracia da Nigéria. Ele quer transformar a Nigéria em um estado da Sharia islâmica", disse Buwalda.

Muitos paralelos estão sendo feitos entre as eleições do dia 14 de fevereiro e última eleição da Nigéria, feita em abril de 2011. Durante esse tempo, Buwalda diz que 528 igrejas foram queimadas, pelo menos 200 cristãos foram mortos e milhares de casas de cristãos foram queimadas e destruídas.

2014: mais de 10 mil mortos

"É muito difícil de escapar. Primeiro de tudo, você já tem pelo menos 1,5 milhões de pessoas deslocadas que fugiram do norte da Nigéria através da fronteira com Camarões e Níger," Buwalda explicou. "Simplesmente não há nenhum lugar para ir." 

"É muito triste. O medo do que poderá acontecer em menos de duas semanas é desconcertante", disse Buwalda.

Forças Internacionais

O Secretário de Estado dos EUA, John Kerry, visitou a Nigéria no início desta semana. Ele pediu aos candidatos presidenciais que se abstenham do aumento da violência após a votação do próximo mês.  Kerry  também prometeu que os Estados Unidos irá continuar a Nigéria na luta contra o Boko Haram.

Na quarta-feira (4), jatos nigerianos e chadianos bombardearam cidades e aldeias nigerianas dominadas pelo Boko Haram. O ataque marca a primeira grande ação ofensiva contra a organização terrorista.

"Há uma esperança de que talvez essa contingência de forças internacionais poderia ter algum avanço contra os terroristas do Boko Haram", disse Buwalda. 

veja também