"Eles perceberam que eu era cristão", diz ex-refém do Estado Islâmico

Homem que ficou sob o poder dos jihadistas relata o que passou e a sensação de ter sido liberto

fonte: Guiame, com informações de aleteia.org

Atualizado: Sexta-feira, 27 Março de 2015 as 10:46

Sequestro _ imagem ilustrativa
Sequestro _ imagem ilustrativa

"Seu nome é muito estranho", disseram os muçulmanos ao verem sua identidade. "Naquele instante, eu vi que eles perceberam que eu era cristão", conta o homem que se tornou refém do Estado Islâmico.

Ele ia do Líbano à Síria para visitar a família, mas sua viagem acabou quando passou pelo Conselho Mujahideen Shura, um grupo que mais tarde se juntou ao Estado Islâmico. Junto com outros viajantes, o homem foi vendado, acorrentado e torturado com choques elétricos, relatou ele à jornalista da revista New York.

Os capturados eram cristãos e foram escolhidos justamente por causa da religião. Alguns dos viajantes foram fuzilados pelos jihadistas e outros usados para exigir resgate em dinheiro.

Sobre a conduta dos sequestradores, o cristão pondera: “Eles sofreram uma lavagem cerebral. A única coisa que eles sabem é que existe um homem que se proclama emir, um homem que está acima deles. Não é Baghdadi [o líder máximo do Estado Islâmico]. Há muitos níveis de emires. Qualquer coisa que esses emires disserem, os militantes fanáticos vão acreditar que é verdade."

"Como eu sou cristão, eles me diziam: ‘Você matou muçulmanos nas cruzadas’. Outro me disse que eu era do exército do papa e que eu tinha matado muçulmanos na Espanha. Nós tentávamos dizer que isso não é verdade, que nós não somos isso. Nós sempre vivemos ao lado de muçulmanos em paz. Trabalhamos juntos, gostamos uns dos outros. Mas essas pessoas querem que o mundo seja como eles e matam qualquer um que não é”, compartilha o homem.

Como os jihadistas pediram resgate por sua liberdade, a família juntou os 80 mil dólares e entregou ao grupo. Ser jogado nas ruas de Aleppo, em liberdade, foi a melhor sensação do cristão "Ah, meu Deus, foi a sensação mais maravilhosa que eu já tive (...) Havia soldados do Exército Livre da Síria. Corremos até eles e eles nos levaram para uma igreja. Eu vi a cruz e eu pensei: ‘estou vivo!'"

Sobre a situação do seu país, ele lamenta a permanência de Bashar al-Assad no controle e compara a Síria ao Iraque. "A Síria era um lugar lindo (...) Nós viramos um Iraque. Saddam não era bom, mas era melhor do que aquilo que aconteceu depois. E ninguém pode fazer o Iraque voltar a ser o que ele era. O povo sírio dizia que queria liberdade. Isto não é liberdade. Isto é o caos".


.

veja também