Em entrevista, pastor fala da implantação da Bola de Neve no Chile

Em entrevista, pastor fala da implantação da Bola de Neve no Chile

Atualizado: Terça-feira, 25 Março de 2014 as 3:19

O púlpito também é uma prancha de surfe, com a diferença de dividir espaço com as bandeiras do Chile e do Brasil. Essa é a imagem que se vê na Igreja Bola de Neve no Chile.
 
Rodrigo Ribeiro Rodrigues e sua esposa Renata Bartolozi Rodrigues são os responsáveis pelo trabalho missionário no país.
 
Em entrevista exclusiva ao GUIAME, o pastor Rodrigo fala das dificuldades encontradas no Chile como xenofobia, idolatria, frieza espiritual, entre outras, e de como o trabalho tem sido desenvolvido. Confira a entrevista na íntegra:
 
Bola de Neve no Chile
Rodrigo e Renata na Bola de Neve Chile
 
GUIAME: Conte como foi seu processo de mudança para o Chile.
Na verdade foi por etapas. Fui convidado para um congresso de missionários, e o meu Pastor na época da Bola de Neve Tatuapé me disse que nada nessa vida era po acaso e que era para eu "espiar a terra", fazer contatos... Voltei e contei a realidade do Evangelho aqui e a condição dos jovens nas igrejas.  Através dos contatos abrimos uma célula e eu  viajava uma vez por mês ao Chile e ficava de 7 a 10 dias. Durante esse período eu não sabia se realmente iria viver no Chile ou continuaria morando no Brasil.
 
Depois de muito tempo de oração Deus confirmou através da vida do Pr. Mohamad (Bola de Neve Tatuapé) que havia chegado o momento de ir em definitivo e plantar uma igreja no Chile.
O chamado de missões sempre queimou no meu coração, mas nunca havía pensando em um lugar em específico até que Deus colocou o Chile no meu coração, comecei a criar amor pelo País e pelas pessoas aqui.
Minha esposa entendeu também que Deus estava nos chamando, então isso facilitou ainda mais a nossa mudança.
 
GUIAME: Você sentiu muita diferença em liderar uma célula jovem no Brasil e liderar uma célula jovem no Chile?
Senti muita diferença porque a quantidade de jovens no Brasil que tem se convertido aos caminhos de Jesus e quantidade de jovens nas igrejas é muito superior ao Chile.
A quantidade de jovens compromissados com Deus e nas igrejas no Chile é muito baixo. O número de ateus entre a juventude tem crescido bastante. Por isso encontrei uma dificuldade maior aqui.
 
GUIAME: O trabalho no Chile foi iniciado em 2011. Naquela época, que dificuldades vocês encontraram na implantação de uma célula?
Oficialmente começamos em outubro de 2012 e as dificuldades foram muitas, entre elas foi entender a cultura dos chilenos e porque eles são muito fechados em relação ao Evangelho. O número de católicos é muito grande, mas aqui o de evangélicos, de uma forma geral, é bem menor.
Outra dificuldade é implantar uma igreja, que não é um trabalho fácil, ou seja, mas que uma célula vem a missão de implantar a igreja.
Já sofremos ataque de feitiçaria também. Há bastante bruxos e esotéricos no Chile.
 
GUIAME: A xenofobia é citada como um dos problemas no Chile. Vocês sofreram, ou sofrem, preconceito?
Sim, sofremos. Foram poucos os momentos, mas foram dificeis. Imagina chegar num País que não é o seu, ter que se adaptar a tudo e ainda ter que lidar com isso. Mas hoje não nos deixamos abater por isso, e se passa algo desse tipo não nos atinge mais.
 
Bola de Neve no Chile
Uma das reuniões de célula realizada no Chile
 
GUIAME: Atualmente qual é a maior dificuldade da evangelização no Chile? Há uma frieza espiritual notável no povo chileno? Se sim, há algum motivo aparente que tenha os deixado assim? 
A maior dificuldade na verdade é aceitação do Evangelho, eu vejo essa situação aqui como a uns trintas anos atrás no Brasil, onde o Evangelho não tinha tanta abertura como atualmente. Há uma frieza gigantesca, creio que uma parte vem através da ditadura, que acabou no final dos anos 80, começo dos 90. De lá pra cá não tem uma geração formada, então eles estão vivendo a fase "Woodstock" deles.
E claro, o lado espiritual, onde há principados e potestades que geram também essa frieza. O versículo de Efésios 6:10 deve ser colocado em prática a todo momento.
 
GUIAME: Quantas pessoas estão envolvidas no projeto da Bola de Neve Chile? 
Do Brasil vieram somente eu e a minha esposa. Atualmente, desde que começamos oficialmente os cultos temos mais ou menos 15 pessoas. Poucas pessoas, mas cremos no crescimento.
 
GUIAME: Qual tem sido a forma de evangelização no Chile? Que estratégias têm sido usadas? O que você ainda espera ver acontecendo como representante da Bola de Neve no Chile?
Tenho usado a internet que é um meio de alcance em massa muito grande, tenho apoiado um grupo de skaters cristãos que tem nos ajudado com evangelismo nas ruas, no dia 6 de abril terá a Maratona de Santiago estaremos aí para correr e evangelizar. Tenho tentado formar esses que já fazem parte para que eles sejam os multiplicadores. 
E o que eu espero é ver essa frieza espiritual que vivemos aqui sendo transformada em pessoas quebrantadas e apaixonadas por Jesus. Espero ver os jovens se apaixonando por Jesus e que ceticismo dê lugar a Fé em Cristo. Espero ver o enfraquecimento da idolatria.
 
 
por Juliana Simioni
GUIAME.COM.BR
 

veja também