Em Pernambuco, Igreja Adventista leva assistência e esperança a mães presas

420 kits com produtos de higiene foram entregues às mulheres na última semana, em comemoração ao Dia das Mães

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Terça-feira, 13 Maio de 2014 as 10:56

mãe presaCerca de 35 mil mulheres compõem a população carcerária feminina do Brasil, segundo o relatório do Sistema de Informações Penitenciárias (Infopen) de 2012.

Deste número, 80% tem filhos. Isso significa que grande parte dessas mulheres convive com a privação do direito de criar os filhos. Para muitas, a fé religiosa é o único meio de manter a esperança de reconstruir a família quando terminarem de cumprir a pena.

No interior de Pernambuco, a Igreja Adventista do Sétimo Dia (Associação Pernambucana Central), presta assistência religiosa a mulheres da Colônia Penal Feminina localizada na cidade de Buíque, Agreste do Estado. Todas as quintas-feiras são realizados estudos bíblicos e cultos na unidade.

420 kits com produtos de higiene foram entregues às mulheres na última semana, em comemoração ao Dia das Mães. As presidiárias receberam xampu, condicionador, desodorante, sabonete, creme dental, escova de dente, absorventes e um exemplar do livro missionário 'A Única Esperança'.

“O nosso objetivo é que elas leiam o livro e vejam que vale a pena confiar em um Deus que as criou para ser felizes”, comenta a coordenadora do Ministério da Mulher para o interior de Pernambuco, Lindete Reis.

No cárcere, a convivência entre mãe e crianças é assegurada até o sexto mês de vida do bebê, pela Lei Federal de Execução Penal.

Francisca dos Santos, condenada a cumprir oito anos de prisão por tráfico de drogas, está cuidando da filha de um mês no berçário dentro da unidade e tem mantido a esperança de reconstruir sua família através da leitura frequente da Bíblia dentro da prisão.


com informações de http://noticias.adventistas.org/

 

veja também