Emerge novo conceito de santidade

Gostaria de ver esse cristianismo emergir antes da minha morte. Minhas andanças pelo país, contudo, têm me levado a crer que algo já se encontra em curso. Ouço gemidos, vejo lágrimas, contemplo joelhos dobrados, em cultos nos quais a mensagem do amor simétrico e integral é anunciada

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Terça-feira, 3 Junho de 2014 as 10:33

ajudaVejo uma ruptura de gerações em curso na vida das igrejas do país. Um conceito de santidade de vida que começa a ganhar espaço nas mentes e corações de milhares de jovens, que vai alterar o perfil do protestantismo brasileiro. Pela primeira vez na história, três elementos novos farão parte, numa extensão nunca antes vista, da forma de o cristianismo ser vivenciado pelos cristãos brasileiros. Que características são essas?

1. Compromisso com o pobre.

Começa a se espalhar pelo Brasil o interesse por resposta, à luz das Escrituras, para pergunta crucial: o que significa ser cristão num país de miséria? Como alguém que passou pela espantosa obra da regeneração responde à realidade dos barracos infestados de ratos, cujas portas são banhadas por esgoto, dentro dos quais habitam crianças pobres, cujos pais estão desempregados ou recebem salários irrisórios? Milhares começam a questionar modelos eclesiásticos que negligenciam o cuidado daqueles para os quais Cristo dedicou especial atenção.

2. Defesa dos direitos humanos.

Como pode uma pessoa ter conceito tão elevado sobre o homem -a ponto de afirmar que seu ser carrega características que podem ser encontradas no próprio Deus-, e, ao mesmo tempo, não se indignar quando aquele que foi criado à imagem do seu Criador é explorado, torturado e grita sob os golpes dos seus algozes sem ter quem o ouça? Jovens cristãos começam a ver como grave incoerência proclamar a dignidade do homem e ao mesmo tempo tratar com indiferença a banalização da vida humana, o que muitas vezes é perpetrado pelo próprio Estado.

3. Amor político.

Milhões de homens e mulheres encontram-se acorrentados a sistemas de opressão. Sem a mínima possibilidade de encontrarem alívio para sua dor, exceto se decisões no campo político sejam tomadas. Salários baixos, jornadas de trabalho desumanas, falta de moradia, carência de saneamento básico, insegurança nas ruas, hospitais mal equipados, escolas sem estrutura mínima. Não há igreja que dê conta desses males através da pura ação filantrópica. Há grande diferença entre dar pão e libertar o povo da escravidão do Egito.

Cristãos brasileiros começam a perceber que a sempre indispensável generosidade pontual não dá conta do sertão nordestino, das favelas cariocas, dos bairros de periferia de São Paulo, das comunidades ribeirinhas do Amazonas. Há uma dimensão política no amor.

Talvez você esteja perguntando: o que o leva a crer nessa transformação? Sei que essa profecia é a profecia do desejo. Gostaria de ver esse cristianismo emergir antes da minha morte. Minhas andanças pelo país, contudo, têm me levado a crer que algo já se encontra em curso. Ouço gemidos, vejo lágrimas, contemplo joelhos dobrados, em cultos nos quais a mensagem do amor simétrico e integral é anunciada.

Se esse jovens conseguirem incorporar esses três elementos ao seu conceito de santidade, sem se deixarem levar por ideologias políticas de esquerda ou de direita, mantendo a fidelidade às Escrituras, levando o evangelho aos que não conhecem a Cristo, exercitando o amor na igreja local e orando no poder do Espírito Santo, essa geração de cristãos terá transcendido a que a antecedeu.


- Antônio Carlos Costa

veja também