Emissora cristã oferece aulas via satélite para crianças refugiadas

A diretora da SAT-7, Rita El Mounayer explicou que o objetivo central é transmitir "uma mensagem de esperança, paz, perdão e reconciliação".

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Sexta-feira, 26 Fevereiro de 2016 as 11:21

À medida que mais e mais pessoas fogem da guerra na Síria e alcançam campos de refugiados em países vizinhos, uma emissora cristã vem oferecendo cursos televisionados de disciplinas básicas para crianças, juntamente com mensagens de amor, perdão e reconciliação.

A SAT-7, que foi lançada em 1995 como a primeira emissora de TV cristã via satélite na língua árabe, tem transmitido o seu programa "Minha Escola", cinco dias por semana, desde 2015. Disciplinas curriculares básicas - tais como o Árabe, Inglês e Matemática - são ensinadas às crianças.

Rita El Mounayer, diretora de canais e comunicações da SAT-7, disse ao 'Christian Post', em uma entrevista por telefone, na última quinta-feira (25), que o programa está fazendo mais do que apenas ensinar disciplinas escolares, mas também está proporcionando às crianças e famílias, a esperança de um futuro em meio à crise humanitária.

"Uma catástrofe está acontecendo e eu não acho que há uma solução para isso nos próximos anos. Há milhões de refugiados que perderam a esperança em seus governos, perderam a esperança em seus países, em seus vizinhos, e até mesmo perderam a esperança em Deus", disse El Mounayer, que cresceu durante a guerra civil do Líbano.

"A maioria das pessoas neste conflito são inocentes. Essas pessoas são as mais pobres entre as pobres, em seus países de origem. Elas migram para o Líbano, Jordânia ou Turquia e não podem se dar ao luxo de alugar um apartamento, então elas acabam se refugiando em acampamentos", acrescentou.

Estatísticas oficiais das Nações Unidas indicam que até 4,7 milhões de sírios foram registrados como refugiados, sendo que, a maioria deles está em países vizinhos, como Líbano, Jordânia, Turquia, Egito e outros.

El Mounayer observou que 1,5 milhão desses refugiados estão no Líbano, e muitos deles são mulheres e crianças, já que os homens são muitas vezes deixados para trás e ficam em casa para trabalhar ou lutar na guerra civil em curso.

Ela disse que a SAT-7 trabalha com a igreja local e com as pessoas da região e é muito sensível às mensagens transmitidas, uma vez que lida com as pessoas que estão enfrentando dificuldades reais e sabem o que significa viver no Oriente Médio, e também o que significa ser cristão nestas regiões.

Pessoas de todas as origens e de todas as esferas da vida sofreram na guerra civil síria ao longo de cinco anos, com a crise humanitária crescente em números também devido à ascensão do grupo terrorista Estado Islâmico no Iraque e na Síria nos últimos dois anos.

A diretora da SAT-7 explicou que o governo libanês tem feito tentativas de fornecer educação para as crianças refugiadas com menos de 12 anos que vivem nas barracas (cerca de 450.000), mas por várias razões, pelo menos, metade delas não têm nenhuma chance real de ir à escola.

As igrejas locais, incluindo católicos e protestantes, também têm ajudado abrir tendas da comunidade para a educação básica, mas a SAT-7 viu uma oportunidade no fato de que, apesar da escassez, quase todos as barracas das famílias têm uma pequena TV e uma antena via satélite que possibilita a captação de muitos canais.

El Mounayer revelou que o programa "Minha Escola" começou com a primeira série no ano passado, e tem usado a grade curricular da Síria, que se adaptou à do Líbano. Em 2016, o programa já está oferecendo cursos para a segunda série e há planos para que o projeto continue até a quinta série.

Ela explicou que a missão é transmitir "uma mensagem de esperança, paz, perdão e reconciliação".

"Nós sentimos que este é o momento no qual podemos contribuir para o bem-estar dos seres humano, não importa se eles são cristãos ou islâmicos. Nossa missão é apresentar o amor de Deus para muitos... apresentar a salvação de Jesus e, ao mesmo tempo, tentar e trabalhar pelo bem-estar das pessoas", continuou ela.

"Tentamos dar a eles uma segunda chance na vida. E essa segunda chance, acreditamos, está na educação. Porque quando você educa uma criança ela cresce para pensar, analisar, tem a oportunidade de ir à universidade, encontrar um emprego, se casar, ter filhos e ter dignidade em sua própria sociedade".

El Mounayer explicou que a escola via satélite está focada na educação básica, e que ao mesmo tempo usa frases de exemplo usados ​​para ensinar as crianças a ler e escrever em Inglês ou árabe, as quais são muitas vezes baseadas em valores cristãos / bíblicos, mas o programa não vem com uma agenda religiosa específica.

A diretora insistiu que a SAT-7 não quer ser vista "como se estivesse usando a necessidade, dor, agonia e vulnerabilidade dessas pessoas para promover o cristianismo".

"Estamos a tentando dar-lhes uma chance na educação nestes particulares 90 minutos de aula", destacou.

 

veja também