Emissora libanesa presta solidariedade a cristãos perseguidos no Iraque

A rede de TV está adicionando ao seu nome a letra árabe que corresponde ao "N" em nosso alfabeto. O sinal é a inicial da palavra "Nasrani" ("Nazareno") e tem sido usado por um grupo terrorista para marcar a casa de cristãos no Iraque.

fonte: Guiame

Atualizado: Terça-feira, 5 Agosto de 2014 as 1:58

Para expressar solidariedade com os cristãos perseguidos no Iraque, um canal de televisão libanês está adicionando ao seu nome a letra árabe "N", pronunciado como "Noon" e que vem da marca que militantes islâmicos do grupo ISIS ( Estado Islâmico do Iraque e da Síria) estão colocando nas casas de cristãos conhecidos em Mosul.

Ainda que os cristãos e seus apoiadores em todo o mundo estejam adotando a letra árabe "N" nas mídias sociais, a âncora Dima Sadeq do canal de televisão LBCI apareceu esta semana na televisão, ostentando uma camiseta que exibia a letra árabe de forma bem visível e assumiu que a rede tem apoiado aos cristãos perseguidos no Iraque. A informação também foi confirmada pelo Daily Star do Líbano.

"De Mosul a Beirute, todos somos 'N", disse a apresentadora no início de sua transmissão.

A letra árabe "N" é a primeira da palavra "Nasrani", ou "Nazareno", que é usado para descrever os cristãos (porque seguem Jesus de Nazaré).

"Somos todos alvos para os quais se pode apontar com um dedo ou uma espada, porque nós somos diferentes, quer em termos de sexo, religião ou cor de nossa pele. Somos todos alvos de assassinato nesta era insana. A era de radicais, ditaduras e ódio de Israel. Só aqui [na região], são crianças mortas nas praias, igrejas fecharam, mesquitas invadido, santuários dos profetas destruídos", lamentou a apresentadora.

Os telespectadores logo manifestaram seu apoio ao canal de televisão e condenaram o ISIS - um ramo da Al-Qaeda, que declarou o território foi apreendido no Iraque e na Síria como um "califado", ou Estado islâmico , e seu líder, Abu Bakr al-Baghdadi, como califa ou líder para os muçulmanos.

Russell D. Moore, presidente da Ética e da Comissão de Liberdade Religiosa da Convenção Batista do Sul, disse que os militantes islâmicos assumem que a palavra "Nazareno" é "um insulto, um emblema de vergonha."

"Mas somos lembrados de quem somos e por que nós pertencemos um ao outro, através das barreiras de espaço e tempo e língua e nacionalidade. Somos cristãos. Somos cidadãos da Nova Jerusalém. Todos somos 'Nazarenos", escreveu ele, usando uma luinguagem que se encaixa no contexto de tal perseguição.

Contextualização
O ISIS é um dos principais grupos terroristas que estão lutando contra as forças do governo na Síria. O grupo teve ganhos militares importantes também no Iraque. Seus combatentes tomaram o controle de Mosul, a segunda maior cidade iraquiana, sem qualquer resistência por parte de forças locais, em junho deste ano (2014).

Milhares de cristãos fugiram do norte do Iraque e comunidades que viveram por quase 2.000 anos até a chegada do "Ultimato ISIS", que obriga a conversão de todos ao islamismo. Caso contrário, quem não aceitar tal imposição terá que pagar um imposto, ou poderá até ser morto, em razão de negar sua própria fé.

Com informações do Christian Post

*Tradução por João Neto - www.guiame.com.br 

veja também