"Ensino o poder da oração”, diz colaboradora que ajuda desertores entre a Coreia do Norte e a China

“Desenvolver uma vida de oração é essencial para sobreviver como cristão”, afirma Sun Hi.

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Segunda-feira, 29 Dezembro de 2015 as 4:03

oração"Ensino aos cristãos norte-coreanos o poder da oração”, diz Sun Hi*, colaboradora da Portas Abertas na fronteira entre China e Coreia do Norte.

Por causa desse ensino e dá ajuda que dá aos refugiados convertidos norte-coreanos, a cristã pode ser presa tanto por autoridades da Coreia do Norte como da China.

As pessoas a quem ela ajuda são desertores que podem ser sentenciados à prisão, enquanto os que se convertem podem ser condenados à morte.

Os desertores que se convertem, geralmente, querem voltar à terra natal e contar as Boas Novas à família e a viagem de volta é tão perigosa quanto a de ida.

Um dos norte-coreanos discipulado por Sun escreveu o seguinte ao retornar: “Querido Pai celestial, encha-me de seu poder e sabedoria para que eu possa pregar seu amor às pessoas do meu país e ajudá-las a viver de acordo com a sua Palavra. Ajude-nos a aceitar suas palavras e nos guie em uma vida livre de medo e preocupação”

De forma rápida, os irmãos norte-coreanos aprendem que a oração não é apenas para momentos de calamidade, mas todos os momentos. “Desenvolver uma vida de oração é essencial para sobreviver como cristão”, diz Sun Hi.


* nome alterado por motivos de segurança
com informações da Portas Abertas

 

 

veja também