Esposa de missionário assassinado na Jamaica fala sobre a perda: "Tudo coopera para o bem"

Teri Nichols falou sobre a trágica perda de seu marido e afirmou que, apesar de toda a dor que tem sofrido, ainda acredita que Deus pode reverter o mal em bem. "Deus tinha um propósito na vida dele e eu sinto que coisas boas vão sair disso tudo", disse.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Quarta-feira, 4 Maio de 2016 as 9:06

Teri Nichols (à esquerda) e seu marido, o missionário Harold Nichols (à direita), brutalmente assassinado na Jamaica. (Foto: Facebook)
Teri Nichols (à esquerda) e seu marido, o missionário Harold Nichols (à direita), brutalmente assassinado na Jamaica. (Foto: Facebook)

Os funcionários de várias agências de aplicação da lei dos EUA, incluindo o FBI, confirmaram que irão contribuir com a polícia local da Jamaica nas investigações dos assassinatos dos missionários norte-americanos, Randy Hentzel, de 48 anos e Harold Nichols, 53, que ocorreram no último final de semana.

Enquanto a polícia jamaicana ainda busca encontrar um motivo para os assassinatos, Joshua Polacheck, conselheiro para assuntos públicos da Embaixada dos Estados Unidos em Kingston (Jamaica), disse à mídia local na última segunda-feira, que os agentes do FBI, o 'US Marshals Service', os departamentos de Armas de Fogo e Explosivos e da Narcóticos poderão se juntar às investigações.

"Uma investigação de alto nível foi lançada sobre este assunto. Os moradores se comprometeram a cooperar plenamente com as autoridades para garantir que os autores deste crime atroz sejam procurados e processados", disse o comissário de polícia da ilha, Carl Williams a repórteres em uma coletiva de imprensa.

O primeiro-ministro da Jamaica, Andrew Holness, também declarou que iria "garantir que esses crimes não fiquem impunes", depois de se reunir com as famílias dos missionários assassinados.

"Os missionários têm desempenhado um papel vital em nosso desenvolvimento nacional. Muitos fizeram da Jamaica sua segunda casa e através do seu serviço altruísta, demonstraram um verdadeiro amor para com o nosso povo. Randy Hentzel e Harold Nichols dedicaram-se ao povo da Jamaica", disse Holness em um comunicado compartilhado em sua página no Facebook.

"Os assassinatos tiveram um impacto doloroso na comunidade, enquanto o povo geme sua trágica passagem. Eu viajei para Santa Maria [Jamaica]... e eu assegurei a ambas as famílias que o governo vai trabalhar com a polícia para garantir que esses crimes não fiquem impunes", Holness adicionou.

Os residentes da comunidade Boscobel, em Santa Maria ficaram chocados, quando encontraram o corpo amarrado e já sem vida de Hentzel, no último sábado. Um dia depois, foi encontrado o corpo de Nichols, também com marcas de agressão e atrocidades. Sua cabeça teria sido esmagada.

Ambos os homens trabalhavam como missionários para a o grupo cristão 'Medical Missions', da Pennsylvania e foram vistos ainda com vida pela última vez no sábado pela manhã, antes de adentrarem na área montanhosa de Albion, com o objetivo de inspecionar um local que estava sendo preparado para a construção de uma casa para uma família necessitada.

Harold Nichols, 53 anos (à esquerda) e Randy Hentzel, 48 anos (à direita) trabalhavam como missionários na Jamaica e foram encontrado mortos no último final de semana. (Imagem: Facebook)


Luto
A esposa de Nichols, Teri, que vivia com ele na Jamaica, disse à emissora norte-americana 'WKBW', que ele amava ajudar as pessoas necessitadas.

"Ele investiu todos os seus dias na construção de casas para as pessoas, levando as pessoas para o hospital e visitando pessoas doentes", disse ela.

Ela disse ainda ao 'The Gleaner', da Jamaica, que a morte de seu marido não era apenas uma grande perda para sua família, mas também para a comunidade, a qual ele trabalhou tão duro para ajudar.

"Nas últimas 48 horas, as vidas de muitas pessoas foram viradas de cabeça para baixo. A comunidade e as pessoas que o meu marido ajudava estão sentindo uma grande perda", disse ela. "Eu acho que ainda estou no 'modo de trabalho', no qual eu estou cuidando de todo mundo agora, mas estou ciente de que, quando todas essas pessoas saírem e eu vou estar sozinha. Isso vai ser duro real. Agora eu estou preocupada com meus quatro filhos que vivem nos Estados Unidos e que estão muito tristes".

A viúva também insiste que Deus vai transformar seu luto em algo positivo.

"Eu sei que Deus faz com que todas as coisas cooperem para o bem, e que a vida de Harold nunca será definida por seus últimos 15 minutos. Deus tinha um propósito na vida dele e eu sinto que coisas boas vão sair disso tudo", disse ela ao 'The Gleaner'. "Eu acredito com todo meu coração que as pessoas virão ao Senhor por causa disso e eu acho que vai ter um enorme impacto, o que já está acontecendo. Então isso não é em vão".

Os parentes de Nichols em Nova York, onde ele cresceu, também estão apoiando-se em sua fé para superar a tragédia.

"Estou sendo sustentada pela minha fé", disse Shirley Ingersoll, irmã de Harold. "Não é que você não vá experimentar uma dor esmagadora às vezes, mas essa dor não fica e eu agradeço a Deus por isso".


Apoio da Igreja
A Igreja 'Family First', em Ankeny, Iowa - a qual enviou Hentzel como missionário para servir na Jamaica, disse em um comunicado que sua morte também foi uma grande perda e vai realizar uma cerimônia em memorial para ele na próxima segunda-feira (9).

"Randy Hentzel fazia parte do grupo que começou a primeira família, e foi enviado por nós para servir ao Senhor na Jamaica. Tragicamente, ele foi morto na Jamaica, no último sábado pela manhã. Pelo que sabemos atualmente, ele e seu colega de trabalho, Harold Nichols, estavam andando de moto, quando foram atacados e assassinados", disse a igreja.

"Por favor, orem pela família de Hentzel neste tempo de notícias chocantes e grande perda. Esteja pronto também, como sempre, para servir e ministrar a esta família nos próximos dias. É neste tempo que nós, como um corpo, precisamos chorar com eles e envolvê-los em nossos braços", continua a declaração.

veja também