Estado Islâmico dá novo prazo para a libertação de ativista em troca de reféns japonês e jordaniano

Grupo jihadista divulgou uma mensagem em áudio, supostamente gravada pelo japonês Goto

fonte: Guiame, com informações do G1

Atualizado: Quinta-feira, 29 Janeiro de 2015 as 10:35

Estado Islâmico
Estado Islâmico

Até o pôr do do sol desta quinta-feira, 29 de janeiro, é o novo prazo dado pelo Estado Islâmico para a libertação da ativista Sajida Al-Rishawi, ação que pode evitar as execuções do jornalista japonês e do piloto jordaniano, mantidos como reféns.

Uma mensagem de áudio foi divulgada no Twitter por contas ligadas ao grupo jihadista. A voz que aparece na gravação é supostamente do jornalista japonês Kenji Goto.

"Se Sajida Al-Rishawi não estiver pronta para ser libertada, em troca de que se me perdoe a vida, na fronteira turca na quinta-feira, 29 de janeiro, ao pôr-do-sol, hora de Mossul, o piloto jordaniano Moaz Kasasbeh será executado imediatamente"

"Analisando todas as informações, parece ser a voz de Goto, mas desconhecemos a data em que foi realizada a gravação. Estamos nos esforçando para conseguir libertá-lo o mais rápido possível porque acreditamos que está vivo", disse Yoshihide Suga, ministro porta-voz do governo do Japão.

Mohammad al-Momeni, porta-voz do governo da Jordânia, já falou sobre a negociação com o grupo terrorista. "A Jordânia está disposta a libertar a prisioneira Sajida al-Rishawi se o piloto jordaniano for libertado são e salvo", declarou.

Em sua conta no Twitter, o ministro jordaniano das Relações Exteriores, Nasser Judeh, pediu "provas de que o herói Maaz está vivo". O EI não respondeu a esta solicitação.

veja também