Estado Islâmico diz que ‘sedou’ piloto jordaniano antes de queimá-lo, para minimizar a dor

De acordo com as alegações de um dos jihadistas, Kasasbeh "foi sedado tão fortemente, que não tinha nem ideia do que estava para acontecer com ele".

fonte: Guiame, com informações de The Christian Post

Atualizado: Terça-feira, 10 Fevereiro de 2015 as 4:34

 

O Estado Islâmico afirmou ter sedado o piloto jordaniano Moaz al-Kasasbeh, que foi queimado vivo em uma gaiola pelo grupo terrorista. Os militantes disseram que a droga foi uma tentativa de minimizar a dor de Kasasbeh quando gravaram o vídeo de sua morte.

De acordo com as alegações de um dos jihadistas, Kasasbeh "foi sedado tão fortemente, que não tinha nem ideia do que estava para acontecer com ele".

O terrível vídeo, intitulado "Healing the Believers' Chests” (Curando os crentes do baú, em tradução livre), foi lançado na semana passada. Nele, os militantes incendiaram a gaiola onde o piloto de 26 anos estava sendo mantido, sendo rapidamente consumido pelas chamas.

Não há gritos no áudio do vídeo por causa do estado de Kasasbeh, de acordo com um relatório da Arábia Saudita. Há especulações de que os ‘centros sensoriais’ do piloto foram queimados rapidamente.

"É importante notar que Kasasbeh parecia inconsciente, e não que parecia estar sem medo, como alguns dizem", afirma um observador.

veja também